quinta-feira, 4 de Fevereiro de 2016 09:17h

Caso Neymar vira novela espanhola

Neymar prestou depoimento por pouco mais de uma hora e meia na tarde desta terça-feira e deixou a sede da Audiência Nacional, em Madri, onde comentou as acusações de irregularidades em sua transferência do Santos para o Barcelona, ocorrida em 2013

Após o depoimento, o atacante saiu do local em silêncio e não concedeu entrevista aos repórteres que o esperavam na porta do tribunal.
Escoltado em sua saída, Neymar apenas deu autógrafos e atendeu alguns fãs que o esperavam do lado de fora do local, que fica no centro da capital espanhola. Já seu pai e agente, Neymar Silva Santos, acabou ficando até mais tarde no tribunal, onde foi questionado sobre a polêmica transferência ao Barça pelo juiz José de la Mata.
Na última segunda-feira, o atual presidente do Barcelona, Josep Bartomeu, e seu antecessor, Sandro Rosell, negaram irregularidades na contratação do jogador em depoimentos dados no mesmo tribunal. A Justiça da Espanha abriu um processo para investigar a transferência a pedido do grupo de investidores DIS, que tinha 40% dos direitos econômicos do jogador quando o brasileiro atuava pelo Santos.

 


O Grupo DIS alega que recebeu uma remuneração menor do que teria direito pela porcentagem que detinha dos direitos econômicos de Neymar e que o valor real da transação foi ocultado. Inicialmente, o Barcelona informou que o negócio custou ao clube 57,1 milhões de euros (R$ 249,6 milhões na época). Oficialmente, o Santos recebeu 17,1 milhões de euros (R$ 74,8 milhões). Depois, o Barça admitiu que gastou 86,2 milhões de euros (R$ 364,2 milhões). Por causa do imbróglio, Rosell, presidente do clube à época, renunciou ao cargo, que depois seria ocupado por Bartomeu.

 


Vestindo jeans e um blazer, além de óculos escuros espelhados, Neymar chegou ao tribunal em um carro preto e desembarcou acompanhado de seu pai e outros membros de seu staff. Horas mais cedo, representantes do Santos também compareceram ao tribunal e disseram que o clube foi enganado pelo Barça e pelo próprio atacante na negociação.

 


Representantes do Barcelona, por sua vez, disseram ao juiz que todos os protocolos e regulamentos locais foram cumpridos na contratação do astro junto ao Santos. Já a N&N Consultoria, empresa do pai de Neymar, firmou, em 2011, contrato com o Barcelona, contendo obrigações e direitos recíprocos, fixando uma cláusula penal de 40 milhões de euros, devida pela parte que descumprisse os termos e condições do acordo. “Se a N&N Consultoria descumprisse, teria que pagar tal montante sozinha ao Barcelona, sem qualquer participação ou solidariedade do Santos, DIS e Teisa”, diz nota divulgada pela empresa do pai do astro, que alega que a DIS não tem direito ao montante.

 


O Ministério Público espanhol suspeita de corrupção e fraude nos 40 milhões de euros que o Barcelona pagou para ele. Na explicação dos advogados de Neymar, a quantia foi paga como multa por contratar o jogador antes do final de seu contrato com o Santos.
A advogada do Santos, Fátima Cristina Bonassa, porém, alegou nesta terça-feira, na Audiência Nacional, que o clube brasileiro se sentiu enganado ao se tomar conhecimento que o valor da negociação não foi apenas de 17,1 milhões de euros. A representante do clube ainda disse acreditar que Neymar sabia dos detalhes da transação, pois já era maior de idade em 2013.

 


Em seu depoimento, Bonassa enfatizou que o atacante insistiu que o Santos o negociasse com o Barça, apesar de o clube ter recebido outras propostas pelo jogador que eram mais vantajosas financeiramente, sendo que, de acordo com a Lei Pelé, o clube precisa ter a autorização do atleta para poder negociá-lo.
Na manhã desta terça-feira, Neymar treinou normalmente no Barcelona na véspera da semifinal da Copa do Rei, contra o Valencia. O duelo de ida do mata-mata foi disputado às 18 horas de ontem, no Camp Nou.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.