segunda-feira, 29 de Abril de 2013 07:40h Superesportes

Chael Sonnen tem tabu mantido na terceira derrota como desafiante no UFC

Chael Sonnen não conseguiu superar um tabu que o acompanha no Ultimate Fighting Championship. Em três lutas pelo cinturão, atuando como ‘azarão’ em todas, o falastrão só conheceu derrotas. A última, diante de Jon Jones, por nocaute técnico no primeiro round, no UFC 159, em Newark, levou o ‘Gângster Americano’ a repensar a carreira na organização.

Chael Sonnen perdera duas vezes para Anderson Silva, nas edições 117 (finalização) e 148 (nocaute técnico), em disputas de cinturão do peso médio. Na terceira oportunidade de brigar pelo título, novamente contra um rival favorito, agora pelos meio-pesados, o falastrão fracassou. Sofreu três quedas, foi amplamente dominado e se expôs às cotoveladas do campeão, caindo no primeiro round do duelo no Prudential Center.

O duelo contra Jon Jones representou ainda a luta entre os dois treinadores da 17ª edição do The Ultimate Fighter. Pelo menos no reality show, o falastrão levou a melhor diante de ‘Bones’, já que o time dirigido por Sonnen classificou os dois lutadores para a final – Kelvin Gastelum derrotou Uriah Hall por decisão unânime e conquistou o título.

Depois da terceira derrota valendo o cinturão, Chael Sonnen admitiu que não sabe como será o futuro no UFC. “Eu ainda não estou preparado para decidir o que fazer. O que vão fazer agora? Eu perdi para Jon Jones e Anderson Silva. Vão me colocar para lutar contra Wanderlei Silva? Quem mais eu tenho para enfrentar e derrotar? Fiz algumas lutas que não foram como eu esperava. Mas eu só fui batido duas vezes, e essa foi a segunda”, afirmou o falastrão, durante entrevista aos jornalistas, depois da edição em Newark.

Chael Sonnen admitiu ainda a superioridade de Jon Jones no confronto, mas disse que não esperava ter sido derrubado com tanta facilidade, já que sempre se destacou no wrestling, a luta olímpica, com boa defesa de quedas. “O ruim foi ele ter me vencido no meu próprio jogo. É frustrante, mas foi o que aconteceu. É muito difícil trabalhar tão duro e não atingir o objetivo. Mas é um esporte com dois competidores e eu não dou desculpas. O melhor sempre vence”, frisou o desafiante.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.