quinta-feira, 26 de Abril de 2012 11:27h Luciano Eurides

Choro não faz valer o mando de campo

Teve início no último domingo a Copa Rural 2012. A comunidade do Choro foi a escolhida pelo governo municipal para ser dado o chute inicial. Depois dos tradicionais discursos Choro e Cacoco de Cima não saíram do empate.
A abertura oficial aconteceu no campo da Comunidade do Choro e contou com a presença de várias autoridades, entre elas o prefeito Vladimir Azevedo, os secretários de Esporte e Lazer, Rômulo Duarte, de Governo, Antonio Faraco, da Agricultura, Paulo Marius, e o secretário adjunto de Obras, Dreyfus Rabelo, o deputado estadual Fabiano Tolentino e o presidente do Guarani, Edílson de Oliveira.
O secretário de Esporte e Lazer, Rômulo Duarte, ratificou que a Copa Rural, que é tão tradicional, não podia ficar de fora do foco que o governo dá para o esporte e lazer da cidade. “Este ano ele tem um caráter especial por ser a edição do centenário, podemos ver que a abertura foi bem prestigiada pela comunidade. Nós recebemos os dois homenageados, o próprio presidente do Guarani veio nos prestigiar, o prefeito, deputado, enfim, a gente tem trabalhado incessantemente para que possamos proporcionar mais políticas publica de esporte e lazer,” disse.
O prefeito Vladimir Azevedo deu o chute inicial para o inicio da edição deste ano e espera uma grande competição. “A gente fica feliz e é lógico que o centenário da uma coisa diferente nesta Copa Rural tão tradicional, com mais de duas décadas, e procuramos a cada ano aprimorá-la. Soma-se ai hoje com a confraternização, o convívio entre as comunidades que vem com suas famílias prestigiar os jogos. Estamos muito felizes também por estarmos homenageando nosso querido Toninho Ermida, que é o grande artilheiro da competição e o Dedé do Córrego Falso que tem também uma dedicação forte na Copa Rural. Portanto esta dada a largada para a Copa Rural do Centenário,” concluiu.
Na categoria aspirante o Choro abriu o placar aos sete minutos de jogo quando Artur chutou de longe, pouco a frente do meio campo, a bola subiu e repentinamente perdeu altura caindo dentro do gol defendido por Digão.
O Cacoco de Cima empatou com Geraldo, de cabeça ele aproveitou o cruzamento e deu números iguais. Uma das possíveis revelações da competição é o atleta Igor, de 19 anos, do Cacoco de Cima, ele é meia e jogou improvisado de atacante.
Ainda há de se ressaltar que nessa categoria cada tempo é de 30 minutos.

PRINCIPAL
A equipe do Choro novamente saiu a frente, Paulinho, aos 16 minutos aproveitou um passe do adversário, correu com a bola e invadiu a área, bateu cruzado e abriu o placar. O empate veio em um lance dentro da área quando Itinho driblou e foi calçado. Na cobrança o empate da equipe visitante.
O zagueiro Alisson, da equipe do Cacoco não gostou do resultado. “Nosso time teve mais volume de jogo e presença no ataque. Na minha opinião ainda tivemos um pênalti ao nosso favor e não foi marcado. O campeonato continua e vamos em busca da vitória. Estamos igual ao time do Cruzeiro e do Atlético, sem mando de campo, vamos jogar no Campista, todo jogo é fora de casa, só o fato de não jogarmos no campo do adversário já está de bom tamanho”, falou.
O jogador Paulinho, autor do gol do Choro destacou que o empate dentro de casa não foi bom. “Ruim, tivemos a oportunidade de ganhar, não quero colocar a culpa somente no juiz, pois no segundo tempo nosso time entrou afoito e faltou a tranquilidade. Temos de jogar mais duro, o time deles tentaram uma marcação mais forte e nós perdemos a posse de bola, no caso é entrar mais ligado e teremos dificuldades em todos os jogos, é a primeira vez que jogamos juntos e vamos nos conhecendo no campeonato”, alertou.

ATRASO
A partida teve um atraso de 42 minutos para o início. Sendo que na categoria principal são 35 minutos cada tempo.
 

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.