sábado, 7 de Maio de 2011 13:38h Atualizado em 9 de Maio de 2011 às 10:20h. Luciano Eurides

Clássico definirá qual o melhor time de Minas

O Campeonato Mineiro 2011 chega à reta final e Cruzeiro e Atlético tem fortes motivos para saírem vencedores

O Campeonato Mineiro 2011 chega à reta final e até o momento sem grandes surpresas. Os dois grandes da capital decidem o titulo. Cruzeiro e Atlético tem fortes motivos para saírem vencedores.  A Raposa para esquecer o tropeço na Libertadores. O Galo para esquecer a Copa do Brasil. Para o Cruzeiro a derrota no clássico sempre traz prejuízos para o trabalho já visando o Campeonato Brasileiro. O duelo será contra o Atlético-MG, e vai acontecer neste domingo, às 16h, na Arena do Jacaré.
O Cruzeiro é o mais motivado. Os jogadores deixaram a derrota na Copa Libertadores para traz e estão completamente voltados para a decisão. O volante Marquinhos Paraná busca motivação para o confronto de ida das finais do Estadual a fim de mostrar que o Cruzeiro não está prostrado. O jogador sabe da importância de fazer um resultado positivo na partida. “Domingo podemos reverter tudo, só um jogo desses para buscarmos forças, dar a volta por cima e dar alegria a nossa torcida. Uma decisão, ainda mais diante de uma torcida só, a adversária, temos que fazer tudo que o treinador pede e conseguir um bom resultado”, disse.
Quem faz coro ao discurso de Marquinhos Paraná é o volante Henrique. Para ele, a ocasião do duelo pela final do Mineiro será oportuna para que a Raposa se reerga. Questionado se o jogo contra o Atlético será na base do tudo ou nada para o Cruzeiro, o atleta esbanja determinação e é enfático. “Tem que ser tudo. Temos que buscar o tudo. Na final temos que dar nosso máximo, nosso melhor, para nos reerguermos. Nada melhor que uma final para nos levantarmos novamente”, destacou.


Os dois meio-campistas celestes fazem questão de enaltecer a grande fase vivida pelo Cruzeiro em 2011 e demonstram espírito de vencedores afirmando que, mesmo que lamentada, uma derrota não apagará o brilho do Cruzeiro e tampouco abaterá o grupo estrelado, fazendo-o desistir de seus objetivos na temporada. “Temos muitas coisas ainda pela frente, a começar por essa decisão de domingo. Depois vamos começar um campeonato muito importante e difícil (Campeonato Brasileiro), então vamos lutar para continuar crescendo, ser bastante profissional. Não é uma derrota que vai apagar tudo que fizemos de bom”, frisou Marquinhos Paraná. “Não podemos deixar apagar tudo que construímos, vínhamos bem e foi um dia que estivemos mal, mas temos que fazer valer os números positivos que somamos até aqui e seguir em frente”, ponderou Henrique, que ainda manda um recado para a China Azul e exalta a importância da torcida. “Temos que ir junto com a torcida, porque contamos com o apoio e a força dela. Só nós jogadores não somos tão fortes sem o apoio dos torcedores, então precisamos deles sempre”, aproveitou.

 

 

GALO


Recuperados de problemas musculares, os atacantes Magno Alves e Mancini participaram normalmente do trabalho tático que foi comandado pelo técnico Dorival Júnior, nesta sexta-feira, na Cidade do Galo. Os jogadores, no entanto, permanecem como dúvidas para o clássico deste domingo, em Sete Lagoas, o primeiro da final do Campeonato Mineiro. “O time ainda não está definido. Tenho dois jogadores que ainda estão em observação, o Mancini e o Magno Alves. Eles não fizeram ainda um trabalho um pouco mais dinâmico, mais apurado, até porque temos mais um dia para uma recuperação. Então, ainda não defini e tenho algumas dúvidas, principalmente em razão da situação desses dois jogadores”, declarou o técnico Dorival Júnior.

 

Segundo o treinador atleticano, Toró, Bernard e Leleu estão preparados para o clássico e podem ser confirmados na equipe, caso os atacantes Mancini e Magno Alves fiquem de fora do jogo no próximo domingo. “Trabalhamos ao longo da semana com algumas formações, contando ou não com os dois. Então, estou realmente indeciso e prefiro aguardar até amanhã para que tenhamos, com a finalização dos trabalhos, uma indicação mais direta. Hoje, os dois puderam participar um pouco mais, não com a intensidade que se faz necessária. Por isso, preparamos esses três jogadores para uma eventualidade qualquer”, afirmou.


O time que começou o coletivo da sexta-feira, na cidade do Galo, teve a seguinte formação: Renan Ribeiro; Patric, Réver, Leonardo Silva e Guilherme Santos; Serginho, Fillipe Soutto, Giovanni Augusto e Bernard; Mancini e Magno Alves. A única alteração foi a entrada de Cláudio Leleu na vaga do meia Bernard.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.