sexta-feira, 8 de Julho de 2011 17:14h Atualizado em 10 de Julho de 2011 às 08:20h. Luciano Eurides

Clássico pode ser motivo para queda de treinadores

Indignados com a campanha do Atlético no Campeonato Brasileiro, torcedores fizeram forte protesto no desembarque da delegação no Aeroporto de Confins, na quinta-feira à noite, quando o time voltou de Fortaleza, onde perdeu por 3 a 0 para o Ceará, na terceira derrota consecutiva por placar elástico na competição – fora derrotado por 4 a 1 pelo Flamengo e por 4 a 0 pelo Internacional.


Munidos com pipoca e alguns usando nariz de palhaço, os torcedores gritaram ‘timinho’, ‘time sem vergonha’.Sob forte vaia e mais hostilidades, os jogadores foram protegidos por seguranças do Atlético e por policias militares até chegarem ao ônibus. Tentativas de agressão foram contidas pela PM – o volante Richarlyson partiu para cima de um torcedor e só não o agrediu porque um policial interveio. Nenhum atleta deu entrevista.


Primeiro a deixar a sala de desembarque, o técnico Dorival Júnior foi alvo de cobranças, mas não tão duras quanto as dirigidas ao elenco. O presidente Alexandre Kalil, que não estava presente, também não foi poupado.


A preocupação era grande para a reapresentação do elenco atleticano, na tarde de ontem na Cidade do Galo. No entanto, o clima foi de muita tranquilidade na chegada dos jogadores atleticanos no CT. Não havia presença de torcedores no local e nem esquema especial de segurança.
Após três derrotas consecutivas no Campeonato Brasileiro, o time se prepara para o clássico contra o América-MG, domingo, às 18h30, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, em jogo válido pela nona rodada da competição.


O clássico contra o Atlético vale mais do que três pontos para o técnico do América Mauro Fernandes. A vitória diante do rival, que está dois pontos à frente, significaria a volta da confiança ao elenco americano, além da possível saída da zona de rebaixamento.“São duas equipes que necessitam da vitória, pelo menos do nosso lado foi o que falei com meus jogadores. Nossa equipe está muito tensa por causa da falta de vitórias, mas sabemos que vamos pegar um adversário com uma pressão muito grande também. Deve ser uma partida muito estudada, qualquer erro pode ser fatal, e a equipe que perder vai ficar para trás, e muito”, afirmou o treinador do Coelho.


Após a oitava rodada do Campeonato Brasileiro, os dois times estão na zona de rebaixamento. O Atlético é o 17º, com oito pontos, e o América vem logo atrás, com seis. O cenário aponta que o perdedor terá uma semana terrível, com possível demissão do treinador derrotado.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.