quinta-feira, 5 de Abril de 2012 18:12h Atualizado em 6 de Abril de 2012 às 07:27h. Luciano Eurides

Clássico vale mais que a liderança no Campeonato Mineiro

Líder do Campeonato Mineiro e com 100% de aproveitamento, o Atlético se mantém na ponta do Estadual com um empate contra o arquirrival Cruzeiro, no clássico de domingo. Mas o avante Guilherme, não quer nem saber de empate, e só pensa em somar mais três pontos para o Galo o terminar a fase de classificação em primeiro lugar ganhando todos os jogos.
O atacante, que já vestiu a camisa do Cruzeiro diz ser o encontro uma das maiores rivalidades do país, do mundo. “Eu tenho certeza que do lado de lá ninguém quer empatar, como aqui também ninguém quer empatar. Apesar de o resultado ser bom para gente e nessas horas temos que ver o regulamento. Mas ninguém quer empatar não. A gente vai para ganhar”, declarou.
Guilherme que já esteve do outro lado, sabe muito bem o que significa ganhar um superclássico em Minas Gerais, e garante que o Atlético está preparado. “Mais do que os três pontos, a gente sabe que vale muita coisa. Mas a gente só consegue isso dentro de campo, determinado. Estamos bem preparados para o jogo”, frisou.
Questionado se o Galo seria o favorito para vencer o duelo pela campanha que tem feito, o avante alvinegro afirmou quem que as duas equipes entram em campo em condições de igualdade. Na visão de Guilherme, nem mesmo a pressão da torcida que cobra uma postura diferente da adotada pelos jogadores no clássico do ano passado pelo Brasileiro, quando o Atlético foi goleado por 6 a 1, credenciam os atleticanos como favoritos. “Nosso momento é bom, são dez jogos com vitórias. Acho que precisa ter cautela, ter cuidado. A responsabilidade é das duas equipes. São dez vitórias contra nove vitórias, então está bem igualado. Vai ser um grande jogo. Sem dúvidas, um jogo como esse, ganha quem jogar melhor. As duas equipes têm o favoritismo. Não tem nada de revanche, de obrigação maior de ninguém”, comentou.
Mais do que acostumado a jogar o clássico contra o Atlético, o goleiro Fábio sabe bem o que é preciso fazer para sair de campo com a vitória. E o capitão cruzeirense destaca que a união do elenco atual é um ingrediente positivo para ajudar a Raposa a buscar o triunfo no domingo, às 16h, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, pela 10ª rodada do Campeonato Mineiro, e que terá mando do adversário. “Acho que o fator positivo na competição é a consciência que a equipe tem de, dentro de campo, se unir para superar dificuldades que possa vir a encontrar. A união do grupo é muito boa, e isso faz com que a equipe tenha mais conjunto, mais entrosamento, o que favorece bastante. Já temos uma equipe-base, que tem sido mantida nas partidas, então, o entrosamento existe. Mas sabemos que o clássico é muito mais do que só entrosamento. É dedicação, concentração e não perder jogador durante a partida, o que compromete toda a estratégia traçada durante a semana. Acho que é isso que o clássico pede e o que a gente tem que ter em mente”.
Fábio já perdeu as contas de quantas vezes enfrentou o Atlético com a camisa do Cruzeiro, mas destaca que obteve sucesso na maior parte dos confrontos, e frisa o que é preciso fazer para conseguir ter chances de vencer. “Eu não tenho a conta não. Foram vários clássicos e, graças a Deus, acho que a maioria eu consegui vencer, junto com os meus companheiros. É um jogo muito importante, é a maior rivalidade do estado. Então, só de ter a oportunidade de disputar já é gratificante. Sair vencedor, então, por toda a tradição e por todas as dificuldades, é maravilhoso. Tive a oportunidade de jogar alguns clássicos, mas temos a consciência que cada partida tudo se faz de novo, e que temos que trabalhar da mesma forma, ou até mais, para que a gente possa vencer novamente”.
O camisa 1 concorda com o técnico Vágner Mancini e diz que, pelo momento e pelos números no Campeonato Mineiro, o adversário entra como favorito no jogo de domingo. Porém, Fábio faz uma ressalva, e lembra que em jogos desse porte, as coisas se equilibram. “Nos números do Mineiro isso é comprovado. O Atlético vem 100%, vem na liderança, então, o favoritismo maior nesse clássico é do Atlético, pelos números. Mas nós sabemos que, no clássico, as dificuldades de uma equipe são superadas pela motivação dos jogadores. Então, as duas equipes chegam em bons momentos, e a motivação será ampla dos dois lados, o que vai valorizar bastante a disputa para ver quem será o primeiro colocado”.
Sobre a manutenção ou não do esquema com três atacantes, Fábio acredita que o elenco cruzeirense possui jogadores que oferecem ao treinador a possibilidade de variar, caso haja necessário. “Eu acho que o Vágner tem boas opções, isso é um fator favorável. Nesses últimos dias que antecedem o jogo ele vai tirar as dúvidas que possa vir a ter, para colocar a melhor formação possível, para que a gente possa estar confiantes e aptos a fazer o que ele tem em mente e sair do clássico com os três pontos”.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.