quinta-feira, 17 de Outubro de 2013 12:59h

CNE aprova mudança no calendário dos campeonatos estaduais de futebol

O Conselho Nacional do Esporte (CNE) aprovou nesta quinta-feira (07.10), em Brasília, a mudança nos regulamentos dos campeonatos estaduais de futebol, em razão da realização da Copa do Mundo da FIFA 2014. A mudança no calendário dos jogos será válida por

O Conselho Nacional do Esporte (CNE) aprovou nesta quinta-feira (07.10), em Brasília, a mudança nos regulamentos dos campeonatos estaduais de futebol, em razão da realização da Copa do Mundo da FIFA 2014. A mudança no calendário dos jogos será válida por dois anos e possibilitará uma maior pré-temporada para os times brasileiros. Por determinação do Estatuto do Torcedor, qualquer alteração no calendário de competição deverá ser submetida ao CNE. “Com a realização do Mundial no país, os jogadores teriam somente quatro dias do fim das férias ao início dos estaduais, marcados para 12 de janeiro. Algumas federações solicitaram que os estaduais comecem no dia 19, uma semana depois, aumentando o período de férias dos jogadores”, explicou o secretário Nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor, Toninho Nascimento.

Presidida pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo, a 26ª reunião ordinária do CNE contou também com o balanço das ações do governo federal para a preparação dos atletas para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016, a harmonização da normativa em matéria de controle de dopagem no Brasil e a eleição dos nomes dos novos membros da Comissão Técnica da Lei de Incentivo ao Esporte.

Aldo Rebelo enfatizou que a reunião é realizada num momento especial do esporte brasileiro, durante os preparativos para a Copa do Mundo e em paralelo a outras ações relacionadas aos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016. “O conselho está reunido quando nós estamos nos aproximando de momento importante da preparação para a Copa do Mundo, que é a entrega dos outros seis estádios que completam a infraestrutura esportiva das cidades-sede para 2014. Seis estádios já foram entregues, e até o mês de dezembro o nosso compromisso é entregar os outros seis”, disse o ministro. Ele também lembrou a aprovação do nome do general Fernando Azevedo para presidir a APO, que também é membro do Conselho Nacional do Esporte.

O secretário Nacional de Esporte de Alto Rendimento, Ricardo Leyser, traçou um panorama geral dos principais investimentos aportados na preparação da delegação brasileiros para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, além da consolidação da ideia da Rede Nacional de Treinamento. “É um esforço do Ministério do Esporte, dos comitês Olímpicos e Paraolímpicos, das confederações e, na parte de infraestrutura, dos Estados e dos municípios para constituir os locais de treinamento”, explicou, referindo-se também aos Centros de Iniciação ao Esporte (CIEs).

“Vale ressaltar que este ano já é o melhor em termos de resultados do Brasil em campeonatos mundiais nas provas olímpicas. O histórico mostra que conseguíamos entre dez e 15 medalhas no ano seguinte aos Jogos Olímpicos. Em 2013, o Brasil já conquistou mais de 20 medalhas em mundiais. Esse esforço que estamos fazendo aponta para o cumprimento da nossa meta, que é ficar entre os 10 primeiros no quadro de medalhas dos Jogos Rio 2016”, revelou Leyser.

O secretário executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes, acrescentou que o planejamento dos Jogos Olímpicos vai além da preparação dos atletas, configurando-se como oportunidade para promover o desenvolvimento do país. “Do nosso planejamento, temos um conjunto de iniciativas estratégicas consolidadas, visando identificar os legados que as olimpíadas vão deixar de maneira ampla na dimensão urbana, como a promoção da integração física da capital fluminense, associada à revitalização de áreas degradadas da cidade”, disse.

Também participaram da 26ª reunião do CNE o representante do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Bernard Rajzman; o presidente do Conselho Federal de Educação Física, Jorge Steinhilber; os ex-atletas Marta Lima e Antônio Moreno Neto; o secretário nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social do Ministério do Esporte, Ricardo Cappelli; e o diretor executivo da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), Marco Aurelio Klein. O encontro anterior do CNE havia ocorrido em dezembro de 2012.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.