segunda-feira, 8 de Agosto de 2016 14:01h América/MG

Com apoio da torcida, América derruba o Santos da liderança

Com um futebol de qualidade, com muita garra, aplicação tática e criativo, o América levou a torcida americana ao delírio neste domingo (7/8), na Arena Independência.

O Coelho venceu o Santos por 1 a 0, no último jogo do primeiro turno do Brasileiro, válido pela 19ª rodada da competição nacional. O espetacular resultado, além dos três pontos fundamentais para a reação da equipe em sua luta para sair da zona de rebaixamento, deixa claro a capacidade da equipe de superar qualquer adversário na competição.

O volante Juninho foi o autor do gol americano, aos 45 minutos do segundo tempo, após muita pressão do Coelho. A gigante vitória sobre o então líder do Campeonato Brasileiro, quebra o jejum de nove jogos sem vitórias da equipe americana no Brasileiro.  O triunfo fez o Coelho chegar aos 13 pontos, mas a equipe ainda segue na 20ª colocação da tabela. Agora, o time americano volta a atuar fora de casa. O Coelho estreia no returno do Brasileirão contra o Fluminense no próximo domingo (14/8), às 11h, no Estádio Kleber Andrade, em Cariacica, no Espírito Santo, em jogo da 20ª rodada.

EQUILÍBRIO

O América apresentou um alto volume de jogo no primeiro tempo, em uma partida de bastante equilíbrio. Logo no primeiro minuto o Coelho chegou com perigo quando o volante Juninho roubou uma bola do volante Renato e avançou para o ataque. O jogador americano avançou ao ataque e chutou da entrada da área, mas a finalização acabou sendo cortada pela defesa.

O Santos respondeu a investida americana cinco minutos depois e quase abriu o placar. O atacante santista Rodrigão recebeu livre dentro da área e ficou cara a cara com o goleiro João Ricardo, que cresceu no lance e fez uma defesa espetacular, salvando o Coelho. O jogo continuou movimentado e, aos 15 minutos, o time americano chegou com o meia Osman, que arriscou de fora da área, mas a bola foi por cima do gol adversário.

À medida que o tempo passava, o América dominava cada vez mais o jogo. Com mais posse de bola, avançando suas linhas e neutralizando o talentoso setor ofensivo do Santos, o time americano tentava criar chances para abrir o placar. Só que o Coelho esbarrava na defesa paulista e não conseguia criar oportunidades efetivas de ataque. A equipe americana tentava o gol de todas as formas, trabalhando a bola ou fazendo cruzamentos na área, mas não conseguiu marcar no primeiro tempo. Mesmo fazendo uma boa apresentação contra o líder do Brasileiro, o Coelho foi para o intervalo empatando em 0 a 0.

VITÓRIA GIGANTE

O time americano voltou do intervalo pressionando a saída de bola da equipe adversária e teve duas grandes chances de sair na frente logo no início do segundo tempo. A primeira foi aos 4 minutos, em contra-ataque puxado pelo volante Pablo, que tocou para Osman. O armador americano recebeu próximo da área e lançou o atacante Michael, que chutou bem de primeira, mas o goleiro Vanderlei fez ótima defesa, impedindo o gol do Coelho.  Aos 7 minutos foi a vez de Osman tentar finalizar. O jogador americano driblou seu marcador dentro da área, mas acabou chutando para fora.

A partida era elétrica, e a torcida americana cresceu nas arquibancadas para apoiar o time americano. Com as duas equipes buscando o gol, o jogo ganhou bastante em emoção e movimentação. No entanto, mesmo com um futebol intenso, o tempo passava e o time americano não conseguia marcar o seu gol.  Com isso, a primeira mudança no time foi feita pelo técnico Enderson Moreira aos 25 minutos, quando o treinador americano colocou o lateral esquerdo Danilo no lugar de Michael.

Aos 30 minutos, o goleiro João Ricardo apareceu mais uma vez no jogo para salvar o Coelho. O Santos fez boa trama ofensiva e a bola chegou até o meia Vitor Bueno, dentro da área, mas a finalização do armador adversário parou nas mãos de João Ricardo. O técnico Enderson Moreira mudou o time pela segunda vez aos 31, quando o meia Matheusinho saiu para dar lugar ao atacante Victor Rangel.

E em seu primeiro lance na partida, o atacante americano teve uma chance claríssima de marcar. Victor Rangel recebeu completamente livre na intermediária e driblou o goleiro Vanderlei, que fora da área, impediu o prosseguimento da jogada colocando a mão na bola. O goleiro santista foi expulso de campo o Coelho ficou com um jogador a mais em campo e Enderson Moreira colocou o time para frente. O técnico americano colocou o meia Diego Lopes no lugar do volante Leandro Guerreiro aos 37 minutos.

Em seu primeiro lance no jogo, Diego Lopes deu ótimo passe para Victor Rangel, que saiu na cara do gol, mas a arbitragem marcou um impedimento inexistente na jogada. Mas o América não se abateu e continuou atacando e pressionando a equipe santista. Até que aos 45 minutos, Victor Rangel recebeu na área e rolou para a chegada de Juninho, que vinha de trás. O volante americano mostrou a categoria de um atacante e finalizou com firmeza, para vencer o goleiro e fazer América 1 a 0. O gol fez justiça ao ótimo futebol apresentado pela equipe americana, que segurou o resultado e conquistou uma vitória gigante sobre o Santos.

 

FICHA DO JOGO

AMÉRICA 1 X 0 SANTOS

Estádio: Arena Independência, em Belo Horizonte

Motivo: 19ª rodada do Campeonato Brasileiro
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (PB) 
Auxiliares: Luiz Filipe Gonçalves Corrêa (PB) e Oberto Santos da Silva (PB)

Gols:  Juninho, aos 45 minutos do 2º tempo (América).

Cartões amarelos: Gilson, Leandro Guerreiro (América); Lucas Lima (Santos).

Cartão vermelho: Vanderlei (Santos).

AMÉRICA
João Ricardo; Jonas, Sueliton, Alison e Gilson; Leandro Guerreiro (Diego Lopes), Juninho, Pablo, Matheusinho (Victor Rangel) e Osman; Michael (Danilo). Técnico: Enderson Moreira

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Caju; Léo Citadini, Renato, Vitor Bueno (Vladimir) e Lucas Lima (Jean Mota); Copete e Rodrigão (Joel). Técnico: Dorival Júnior

Público: 2893
Renda: R$ 58.290,00

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.