sexta-feira, 3 de Agosto de 2012 13:40h Gazeta do Oeste

Com burca, saudita é ovacionada, mas perde no judô

Wojdan Shaherkani entrou para a história do esporte nesta sexta-feira. Não pelo seu desempenho esportivo dentro do tatame do judô, mas por ter se tornado a primeira mulher saudita a disputar uma Olimpíada. Encerrando uma grande polêmica, a garota muçulmana competiu usou uma burca discreta, preta, cobrindo toda a cabeça.

Aos 16 anos e ainda faixa azul no judô, a saudita recebeu uma faixa preta da organização, para que competisse em nível de igualdade com as adversárias. Mas, no tatame, conforme esperado, mostrou-se ainda longe do nível olímpico.

Ovacionada pela torcida na ExCel Arena, Shaherkani contou com a paciência da porto-riquenha Melissa Mojica, que hesitou em derrubar a adversária e vencer por ippon, o que só aconteceu depois de 1min22 de luta. Mesmo derrotada, a saudita deixou o tatame muito aplaudida.

Até os Jogos de Londres, a Arábia Saudita (assim como o Catar e o Bahrein) nunca havia permitido a participação de mulheres em olimpíadas. O tabu foi quebrado depois de muita negociação com o governo saudita, que só fez a concessão em troca da garantia de que elas poderiam competir usando a burca.

Depois que Shaherkani chegou a Londres, porém, a Federação Internacional de Judô (FIJ)avisou que não permitiria, por razões esportivas e de segurança, o uso da burca. A saudita ameaçou não competir, mas uma negociação envolvendo COI, árabes e FIJ acabou por encontrar uma solução para os menos de dois minutos que ela ficou no tatame.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.