sexta-feira, 11 de Novembro de 2011 16:38h Dácio Fernandes

Contas de Ricardo Teixeira já são analisadas pela Polícia Federal

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Comitê Organizador Local da Copa-2014 (COL), Ricardo Teixeira, já começou a ter suas contas analisadas pela Polícia Federal, que investiga a possibilidade do dirigente ter sonegado impostos e manteve dinheiro no exterior sem declarar à Receita Federal, de acordo com o jornal Lance!.


A Polícia Federal já teria as informações com a movimentação bancária de Ricardo Teixeira nos últimos cinco anos em inquérito instaurado na Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros (Delefin).


Teixeira teria se comprometido em depoimento prestado na última sexta-feira a encaminhar cópias de suas declarações de renda nos últimos cinco anos e afirmou que seu patrimônio é formado apenas pelo que recebe da CBF e da Fifa.


Ele afirmou à PF que encerrou as atividades na empresa RLJ Participações Ltda., criada em 1992 com sua ex-mulher Lucia Havelange Teixeira, filha de João Havelange, presidente de honra da Fifa. Mas segundo o jornal, ele registrou na empresa as quotas de sua propriedade da Agropecuária Santa Rosa Indústria e Comércio Ltda., criada ao lado de seu irmão.


A empresa RLJ Participações teria ligação com a Sanud Etabilissement, que tem sede no paraíso fiscal de Liechtenstein, a qual Ricardo Teixeira declarou em depoimento não ter conhecimento de seus donos. De acordo com o jornalista inglês Andrew Jennings, da BBC, a Sanud seria intermediária para o dirigente receber US$ 9,5 milhões de suborno da empresa de marketing esportivo ISL.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.