sábado, 14 de Maio de 2011 13:41h Luciano Eurides

Copa Centenário volta a movimentar o Parque de Exposições

A Copa Centenário de Futebol de Areia, depois de uma folga no Dia das Mães, depois com a realização de uma grande festa no parque de Exposições de Divinópolis, as atividades serão retomadas amanhã (domingo) com a realização da semifinal. Jogam Pimenta Comércio de Embalagens - Super Bob X Alessandro Escapamentos - Robson Motores, Os Onças  e em outro jogo se enfrentam Time do Jaime X Mangueiras Brasil.


Novidade e certamente uma atração muito bonita e especial será a presença das atletas do time feminino do Palmeiras de Divinópolis, num jogo exibição. São cerca de 20 garotas com idades de 15 a 23 anos. O técnico da equipe feminina do Palmeiras, Robson Sousa Santos atua há um ano; já tendo conquistado o título de equipe Campeã da Cidade (com a participação de outras sete equipes) e Campeã do Torneio da Lugo Esportes (com a participação de mais cinco equipes). A equipe feminina do Palmeiras de Divinópolis participou também de inúmeros amistosos nas cidades de: Itaúna, Carmo do Cajuru, Formiga e Nova Serrana.


A capitã do time, Jana Adriana dos Santos Ferreira (23), joga desde os seus 13 anos de idade quando morava em Buriti Grande, município de Martinho Campos. Lá chegou a disputar por duas equipes. Em Martinho Campos defendeu as cores de cinco equipes. Em Divinópolis, jogou pela equipe do Flamengo por seis meses. De posse da informação da existência do time feminino do Palmeiras, passou a fazer parte da equipe onde hoje é a capitã e titular absoluta, devido a sua experiência. Na opinião de Adriana, como é mais conhecida pelas companheiras de equipe: “Jogo porque amo essa modalidade de esporte. A minha idade, não permite que eu me empenhe mais numa carreira. Para praticar o futebol feminino a pessoa tem que ter dom. Fica mais fácil pra ela gostar de futebol. Existem pessoas que praticam esporte para melhorar o seu condicionamento físico. Nas duas formas o principal é a disciplina”, desabafa a capitã do time do Palmeiras de Divinópolis. Jana segue sua linha coerente de pensamento.  “Existe muito preconceito. As pessoas não aceitam muito bem. Precisam de um apoio maior: seja de um patrocinador e do apoio fundamental da família”, explica.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.