quarta-feira, 4 de Maio de 2016 14:15h Atualizado em 4 de Maio de 2016 às 14:18h. Luciano Eurides

Copa Faced termina com campeões e sem derrotados

Escrever a história da Copa Faced de Futsal Escolar 2016 couberam aos deuses da bola pesada. Nenhum ser humano conseguiria um roteiro tão perfeito. Uma competição grande, sem incidentes, sem derrotados. Isso faz o esportista acreditar no futuro

Uma competição que nasceu para uma faculdade se mostrar como potencial agregadora de jovens que ainda estão no ensino médio. Começou da maneira correta, acreditando nos meninos envolvidos no esporte e podem ser alunos da faculdade e bons profissionais. Antes de acreditar no atleta, acreditaram nas pessoas. A Faced deu a chance, os meninos não decepcionaram nem dentro e nem fora de quadra.
Os jogos mostraram talentos vindos de todas as partes da cidade e até mesmo de São Sebastião do Oeste. Nesta matéria final, havia tentado fazer a seleção da Copa. Fiz dezenas de vezes. Impossível escolher dez, doze ou quinze atletas. Seria uma injustiça, ainda mais após a memorável partida da final. Não houve fim. O apito final deixou um gosto de 'quero mais'.

 

 


Um jogo agradável de se ver. Com a bola rolando, os times marcando e saindo para o ataque com disposição tática e alta qualidade técnica. Um Dona Antônia Valadares mais experiente, favorito desde o início. Atletas criados no futsal e moldados pelas escolas de futebol da cidade e até de fora. Do outro lado, uma equipe montada com o objetivo de usar a competição como experiência, pois a Antônio Belarmino vai disputar os Jogos Escolares de Minas Gerais (Jemg). O professor Leopoldo Torres previa que os meninos precisavam sentir o gosto da vitória. Venciam, comemoravam e recomeçavam. Assim, os mais jovens atletas da copa vieram se renovando e crescendo, chegou à final como um gigante.

 

 


O encontro foi uma partidaperfeita. Do início ao fim. Talvez numericamente podia se dizer em porcentagem maior de posse de bola e volume de jogo para o Antônio Belarmino, mas quem esteve mais próximo ao gol foi o Dona Antônia. Teve técnica, tática e raça de ambas as partes. Outros elementos também, como a sorte e o azar. O acaso e o erro de um se tornava oportunidade para o outro. Uma partida sem gols e ninguém arredava o pé das arquibancadas. O empate levou a decisão para as cobranças de penalidades, nesse quesito, o Dona Antônia marcou com Felipe Araújo e Felipe Bonelli e assim conseguiu o título. Para o Antônio Belarmino, Felipe Tipipa e Gustavo Pulga não acertaram o gol.

 

 

 

Não houve derrotados. O campeão e vice comemoraram, pois atingiram seus objetivos. O atleta Felipe Araújo, campeão em 2015 e 2016, considerou o elenco e o crescimento dentro da disputa. Ainda em tom de esportividade, declarou que o Dona Antônia vai torcer para a Antônio Belarmino no Jemg. “Viemos com a mesma garra de sempre, lutando, não podemos deixar levar pelo fato do título no ano passado, fizemos uma equipe diferente, categoria mais nova agregou valor e conseguimos confirmar o favoritismo, de forma diferente e mais aguerrida dessa vez. Deixamos para quem vem no próximo ano, aprendendo da forma que fizemos e com os próprios erros, seguirem em frente e ser campeões também. O Antônio Belarmino é uma equipe muito forte, apesar da idade, futebol igualou, são unidos, treinador fez um excelente trabalho e vamos torcer para que elesfaçam um belo trabalho no Jemg, não pudemos entrar e confiamos que eles possam sair com esse título”, disse e mostrando a importância do esporte em cada etapa a ser vencida, seja hoje, ou no futuro. Copa Faced acabou, vamos agregar internamente e, se podermos, vamos somar àqueles que ainda têm disputa escolar pela frente. Antes, durante e depois, o respeito foi praticado de forma pura, sem a necessidade de alguém pedir, eles existem e estiveram presentes.

 

 

 

Para o Antônio Belarmino, o futuro é agora. Semana de treino, já na próxima semana, o Jemg. Para os atletas, a Copa Faced foi uma lição importante, como falou Gustavo Pulga, ainda indignado, pois aprendeu o sabor da vitória. “Primeiro que, ao entrarmos na competição, ninguém acreditava que chegaríamos à final, somos os mais novos da competição, não perdemos para uma equipe mais velha, empatamos e chegamos até os pênaltis, e semana que vem é o Jemg e vamos pra cima lá também. Esperamos representar a cidade e quem sabe Minas Gerais”, disse. Já Felipe Tipipa, não sabe o porquê do apelido. “Não sei, único detalhe que sei é que nunca gostei de soltar pipa. Sabíamos que poderia um pouco mais, mas quando pensamos nas equipes que enfrentamos, com atletas acostumados há muito tempo jogar juntos, e ainda a preparação para o Jemg, acho que foi satisfatório, estamos invictos desde o ano passado, e vamos invictos em busca de novas vitórias no Jemg”, garantiu.

 

 


O símbolo da raça da equipe da Antônio Belarmino é o fixo Alan. Ele briga o tempo todo pela vitória, se entrega de corpo e alma à partida e garante que não é o fim, apenas o começo de uma nova história esportiva para eles e para a escola. “Time deles mais velho e nosso muito tempo juntos também, na nossa ideia, era uma preparação para o Jemg e conseguimos chegar à final, está muito bom, ótimo. Acho que a escola já é favorita para o ano que vem dentro da Copa Faced”, alertou.

 

 


Se a competição nasceu porque a Faced viu a oportunidade de ser divulgada entre os estudantes do ensino médio, hoje eles viraram a mesa e mostraram serem ainda mais que alunos, mas pessoas capazes de competir, jogar, se entregar de corpo e alma, mas para o esporte. Nenhum incidente, nem briga, nem furtos, vou até me arriscar, com uma educação invejável, até mesmo das torcidas.

 


Ainda houve a premiação dos destaques individuais, sendo Gabriel César, do Miguel Couto, artilheiro, com dez gols marcados, e Eduardo Ferreira (Antônio Belarmino), o melhor goleiro. A EE Lauro Epifânio, terceira colocada, também recebeu as medalhas e o troféu, se existisse o prêmio de torcida mais participativa certamente seria da Lauro Epifânio.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.