quinta-feira, 5 de Julho de 2012 08:54h Gazeta do Oeste

Corinthians conquista a Libertadores de forma invicta

O esperado e tradicional sofrimento foi pouco visto nesta noite de quarta-feira no Pacaembu, quando o Corinthians derrotou o carrasco brasileiro Boca Juniors e chegou ao título da Copa Libertadores

O esperado e tradicional sofrimento foi pouco visto nesta noite de quarta-feira no Pacaembu, quando o Corinthians derrotou o carrasco brasileiro Boca Juniors e chegou ao título da Copa Libertadores, conquista inédita na sala de troféus do clube paulista.

 

O placar de 2 a 0 foi construído por tentos anotados pelo polêmico Emerson Sheik. O primeiro em confusa jogada no início da etapa final e o segundo em vacilo do experiente zagueiro Schiavi.
Com a conquista, o Corinthians entra no hall das equipes que levaram o título de forma invicta, ficando ao lado de Peñarol, Santos, Independiente, Estudiantes (2 vezes) e Boca Juniors.

 

Corinthians pressiona e Boca contra-ataca

 

O começo primeiro tempo deu um vislumbre do que iria acontecer durante toda a etapa inicial. Empurrado por sua vibrante torcida, a equipe mandante manteve o controle da bola, testou a marcação argentina e levou perigo principalmente com jogadas advindas das laterais e arremates de fora da área.

 

Restou para o Boca Juniors acionar contra-ataques apostando na velocidade de Mouche, nos passes refinados de Riquelme e na força física de Santiago Silva. Ledesma também incomodava a defesa corintiana pela direita. Leandro Castan e Fábio Santos seguravam as investidas xeneizes, enquanto pela esquerda Alessandro e Jorge Henrique levavam o inferno ao setor defensivo do Boca.

 

Tentativas alvinegras e insucesso xeneize

 

Os testes de longa distância foram disparados quase totalmente por Alex, que testou o goleiro adversário por três vezes, com Orión deixando escapar da primeira vez, mas se recuperando em seguida. Das outras duas oportunidades, Orión defendeu sem problemas, fato seguido pelo reserva Sebastian Sosa, que entrou no jogo substituindo o lesionado titular.

 

A dupla de ataque corintiana Emerson Sheik e Jorge Henrique usavam a habilidade para tentar furar a zaga argentina, construindo boas jogadas aos 16 e 37 minutos. Na primeira oportunidade, Sheik passou por dois marcadores, invadiu a área e viu Somoza cortar. Na segunda chance, novamente Emerson avançou em velocidade pela esquerda, cruzou rasteiro e Jorge Henrique não conseguiu o arremate.

 

Para o Boca restou a força de vontade de Santiago Silva no ataque - marcado por faltas e impedimentos - e Riquelme tentando passes longos e enfiadas sem sucesso.

 

Gol e explosão da torcida

 

Começo do segundo tempo e Boca Juniors no ataque. No minuto inicial, Riquelme lançou para a área adversária, Cássio saiu mal do gol alvinegro, mas a zaga se encarregou de afastar o perigo. Os contra-ataques corintianos faziam a torcida do Boca reter o ar nos pulmões, enquanto dentro de campo os argentinos apelavam para as faltas visando impedir os avanços alvinegros.

 

Aos 8min, o "bando de loucos" no Pacaembu finalmente tiraram o grito de gol preso na garganta. Alex mandou a bola para a área hermana, Jorge Henrique desvio no primeiro ato, Danilo consegue ganhar da marcação e, de calcanhar, acionado o artilheiro Sheik. O atacante desvia a bola do marcador e chuta cruzado, sem chances para Sebastian Sosa.

 

Boca ofensivo e vacilo defensivo - Novo gol

 

Vendo sua equipe amuada no confronto, o técnico Julio César Falcioni acionou Cvitanich na vaga de Ledesma visando aumentar o poderio ofensivo. O efeito aparentemente deu certo e Mouche conseguiu a finalização de cabeça após passe de Riquelme, mas Cássio fez a defesa sem maiores problemas.

 

Lançado ao ataque, o Boca viu um vacilo do experiente zagueiro Schiavi sacramentar o segundo gol corintiano no duelo. Aos 27min, o defensor tentou acionar Caruzzo, Emerson Sheik interceptou o passe, partiu para o gol e fez o seu segundo tento no duelo.

 

Vantagem no placar e partida dominada, bastou ao Corinthians segurar as desorganizadas investidas da equipe argentina e ainda assustar o goleiro Sebastian Sosa em cobrança de falta e finalizações de longa distância.

 

Apito final do juiz Wilmar Roldan e a já esperada confusão no gramado. Desavenças resolvidos e restou aos corintianos comemorarem o título inédito e gravarem seus nomes na história do clube paulista.

 

Corinthians 2 x 0 Boca Juniors

 

Local: Pacaembu, São Paulo (SP)
Árbitro: Wilmar Roldan
Assistentes: Abraham Gonzalez e Humberto Clavijo

 

Cartões amarelos: Chicão, Jorge Henrique, Leandro Castan (COR); Mouche, Santiago Silva, Schiavi, Caruzzo (BJR)
Cartão vermelho: -
Gols: Emerson Sheik 1-0 (8min/2T); Emerson Sheik 2-0 (27min/2T)

 

Corinthians: Cássio, Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Alex; Jorge Henrique (Wallace) e Emerson (Liedson). Técnico: Tite
Boca Juniors: Orión (Sebastian Sosa), Sosa, Schiavi, Caruzzo e Clemente Rodríguez; Somoza, Ledesma (Cvitanich), Erviti e Riquelme; Mouche e Santiago Silva. Técnico: Julio César Falcioni

 

 

 

 

O TEMPO

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.