quinta-feira, 21 de Junho de 2012 09:53h Gazeta do Oeste

Corinthians segura empate e vai à final da Libertadores

No clássico paulista, o Corinthians administrou a boa vantagem conseguida no primeiro jogo do confronto, quando venceu por 1 a 0, semana passada, na Vila Belmiro.

O Corinthians está na final da Libertadores pela primeira vez na história. Com o empate por 1 a 1 com o Santos, na noite desta quarta-feira (20), no Pacaembu lotado, os corintianos vão poder disputar a tão sonhada decisão da competição continental. O adversário será conhecido apenas nesta quinta, com a definição da outra semifinal, na partida entre Universidad de Chile e Boca Juniors, em Santiago.

 

No clássico paulista, o Corinthians administrou a boa vantagem conseguida no primeiro jogo do confronto, quando venceu por 1 a 0, semana passada, na Vila Belmiro. Assim, conseguiu segurar o astro Neymar e eliminou o atual campeão da Libertadores. E, ainda invicto, garantiu vaga inédita na final da competição - sua melhor campanha até então era a semifinal na edição de 2000.

 

Apostando na força da sua defesa e contando com a vantagem construída na Vila Belmiro, o Corinthians adotou uma postura bastante defensiva no começo do jogo. Preferiu ficar apenas marcando e esperando o contra-ataque. Mas, mesmo com maior posse de bola, o Santos teve dificuldades para encontrar espaços no ataque. O resultado foi um confronto sem grandes emoções no primeiro tempo.

 

Apesar da postura defensiva, o Corinthians teve boa chance aos 20 minutos, quando Rafael fez uma linda defesa na cobrança de falta de Alex. Aos 30, o Santos também chegou com perigo, no chute de Juan que desviou em Jorge Henrique, mas Cássio conseguiu segurar a bola. Com tanta marcação e pouco espaço para jogar, o primeiro tempo caminhava para terminar 0 a 0. Aí, brilhou a estrela de Neymar.

 

Assim como aconteceu no primeiro jogo do confronto, o grande astro santista vinha tendo uma noite apagada, sem inspiração. Mas bastou uma jogada para ser decisivo. Aos 35 minutos, ele imprimiu velocidade no ataque e acionou Alan Kardec, que cruzou para a área. Borges, então, se antecipou à marcação e chutou para o gol, mandando na trave. Na sobra, Neymar apareceu e rolou para o gol: 1 a 0.

 

Depois do gol sofrido, o Corinthians resolveu se arriscar um pouco mais no ataque. Empurrado por sua torcida, que manteve o apoio incessante mesmo com a vantagem santista no placar, o time quase empatou aos 45 minutos. No cruzamento para a área, Jorge Henrique foi mais rápido que a defesa santista e cabeceou, exigindo uma difícil defesa de Rafael. Assim, o Santos manteve a vitória parcial.

 

No segundo tempo, o Corinthians voltou com uma mudança no ataque: Liedson no lugar de Willian. E conseguiu o empate logo aos dois minutos. Em cobrança de falta, a bola sobrou dentro da área para Danilo, que, sozinho, tirou do alcance de Rafael e marcou o gol. Depois disso, o jogo ficou ainda mais nervoso - Adriano chegou a empurrar um gandula que demorava para repor a bola na cobrança de lateral.

 

Com a defesa corintiana sempre muito fechada, o Santos enfrentou dificuldade para atacar. Para piorar a situação santista, Neymar errou a maioria das jogadas que tentou. Diante disso, o técnico Muricy Ramalho fez duas mudanças simultâneas, colocando Léo e Elano nos lugares de Juan e Adriano. Mas foi o Corinthians quem teve uma boa chance: aos 30 minutos, Alex chutou forte e Rafael defendeu.

 

Muricy ainda trocou Borges por Dimba, mas não mudou a situação santista. Neymar não conseguiu desequilibrar, Ganso ficou preso na marcação e ninguém apareceu para salvar o Santos. Bem postado na defesa, o Corinthians soube evitar a pressão adversária e controlou as ações até o apito final, provocando o delírio da torcida que lotou o Pacaembu e finalmente estará numa decisão de Libertadores.

 

FICHA TÉCNICA:

 

CORINTHIANS 1 x 1 SANTOS

 

CORINTHIANS - Cássio; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Alex e Danilo; Willian (Liedson) e Jorge Henrique. Técnico: Tite.

 

SANTOS - Rafael; Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan (Léo); Adriano (Elano), Arouca e Paulo Henrique Ganso; Alan Kardec, Neymar e Borges (Dimba). Técnico: Muricy Ramalho.

 

GOLS - Neymar, aos 35 minutos do primeiro tempo; Danilo, aos 2 minutos do segundo tempo.
ÁRBITRO - Leandro Pedro Vuaden (Fifa/RS).
RENDA - R$ 2.599.702,50.
PÚBLICO - 37.978 pessoas.
LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

 

 

 

 

HOJE EM DIA

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.