quinta-feira, 6 de Outubro de 2016 13:29h Carlos Henrique

Cris Cyborg volta a desafiar Ronda Rousey

CARLOS HENRIQUE
ch25771@gmail.com

 

Não é de hoje que as farpas entre Cris Cyborg e Ronda Rousey são públicas. A come­çar entre 2013 e 2015, quando Ronda era dominante nos pesos galos feminino do UFC e invicta, e Cris Cyborg também estava invicta na categoria peso pena (até 65,8 kg) do evento Invicta FC. Na época, Cris foi suspensa por um ano e quatro meses por doping, e a sua luta no Strikeforce contra Fiona Muxlow foi considerada “No contest”. Ronda nunca deixou isso barato e sempre falou que não lutaria com Cris devido ao seu passado de falhas no teste antidoping

“Eu a vejo como uma figura antagônica. Ela tem suas fun­ções, mas ainda tenho muito pouco respeito por ela. Se eu fosse brasileira, eu teria vergo­nha de ter uma garota como ela representando o meu país no MMA feminino. Sinto como se ela representasse tudo o que é errado nesse esporte hoje, e ela tem o seu papel porque as pessoas precisam ver lutadoras como ela sendo derrubadas”, garantiu Ronda em uma en­trevista dada em 2012 para a revista Tatame.

Por outro lado, em uma entrevista dada em 2015, a brasileira, natural de Curitiba, alega que quem foge do com­bate é Rousey, e citou o corte de peso como principal empeci­lho para que o combate ocorra.

“Se ela quisesse fazer essa luta acontecer, bateria 145 lbs (65,8kg) e me enfrentaria. Ela era de 145 e correu para a cate­goria de baixo. Falava de mim toda hora e agora parou, por­que eu voltei a lutar. Tentava usar meu erro para se levantar, e agora parou”

E também disse que tudo o que Ronda conquistou no MMA já havia sido conquistado por ela antes, no passado.

“Tento dar meu melhor em todas as lutas, e se eles se inte­ressarem por isso, seria ótimo. Tudo o que a Ronda conquis­tou eu já tinha conquistado. Es­tou há dez anos na caminhada, fiz a luta da história com a Gina Carrano, consegui o cinturão do Strikeforce. Tudo que ela ganhou eu ganhei, mas agora estão dando mais atenção para o esporte. Gosto de ter sido uma pioneira. Me deixa triste que eu não tenha espaço no UFC, mas fico feliz no Invicta, que abriu as portas para mim”.

Desta vez, em recente pos­tagem na rede social Insta­gram, Cybrog voltou a alfinetar a rival americana e pediu uma luta no fim de semana do Su­perbowl.

“Fim de semana do Super Bowl @rondarousey? Não tem razão para voltar no ano novo se você não vai nem lutar com a garota que “tirou” seu cinturão. As pessoas vão te respeitar mais se você finalmente resolver esta novela dentro do Cage. Eu posso bater 140 libras (63,5 kg), você não precisa vir até a campeã”, escreveu a brasileira em Inglês. Abaixo, em mais uma mensagem, desta vez em português, a curitibana com­plementou.

“Ronda, se você quer lutar, vamos fazer. Você está fazen­do seu retorno ao Cage para lutar pelo cinturão, mas você não está lutando contra quem levou ele de você. As pessoas iriam respeita-la por lutar con­tra mim”.

Ainda não se sabe ao certo quando Ronda vai finalmente voltar ao octógono. Especula­-se que no card de 12 de de­zembro Rousey já possa estar presente. Mas, provavelmente, segundo Dana White, presi­dente do UFC, Amanda Nunes deve ser a escolhida, e não Cyborg. Portanto, a curitibana terá que esperar um pouco mais para a grande superluta, que pode, inclusive, ser o mar­co final na carreira de ambas as atletas, já que uma, sem dúvida, é o grande desafio na carreira da outra.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.