quinta-feira, 16 de Abril de 2015 11:45h

Cruzeiro busca culpados pela derrota frente ao Huracán

O técnico Marcelo Oliveira culpou os erros cometidos pelo Cruzeiro em lances capitais pela derrota por 3 a 1 para o Huracán, na noite de terça-feira, na Argentina, pela quinta rodada do Grupo 3 da Copa Libertadores

Enumerando as falhas, o treinador citou os vacilos do sistema defensivo nos três gols, além de ressaltar o erro da arbitragem no primeiro gol da equipe argentina.
"Não acho que foi falta de inspiração, mas cometemos muitos erros. Já estivemos aqui em outros jogos e o sofremos muito mais. Nós erramos em lances capitais. No primeiro gol perdemos a bola em um drible que foi feito em uma área perigosa, seguido de uma falta no Damião e do impedimento do atacante deles. O segundo gol aconteceu depois de não termos conseguido ganhar a segunda bola e, no terceiro, houve uma falha na marcação, logo no momento em que estávamos reagindo na partida”, disse o técnico.
A maratona de jogos do time também foi citada pelo treinador. Sem culpar o cansaço dos atletas pela derrota, Marcelo lembrou que a sequência de partidas tirou o atacante Alisson do confronto. “A gente jogou há dois dias e chegou aqui na Argentina às 4h da manhã. Isso nos tirou o Alisson do jogo, um jogador importantíssimo. Outros jogadores terminaram o primeiro tempo extenuados”, disse.
A derrota impediu a classificação antecipada do Cruzeiro para as oitavas de final da Libertadores. Em segundo lugar no Grupo 3, o time precisará vencer o Universitário Sucre na próxima terça-feira para avançar. Antes, neste domingo, encara o rival Atlético e precisa de um empate para se garantir nas semifinais do Campeonato Mineiro.
Marcelo destacou que o momento é de esquecer a derrota na Argentina e se concentrar nos dois duelos decisivos, ambos marcados para o Mineirão. "Pagamos caro pelos erros cometidos hoje [terça], mas não adianta murmurar, já passou. Agora temos que ficar muito fortes, tirar uma lição desse jogo e trabalhar para jogar esses dois próximos confrontos dentro de casa. Sabemos que o êxito depende só do nosso esforço e que temos condições de vencer essas duas partidas”, afirmou.
Perder para o Huracán, na Argentina, não estava nos planos do Cruzeiro. Além disso, a derrota por 3 a 1 escancarou alguns erros cometidos pela defesa celeste, que falhou no segundo e no terceiro gols. Caçado em campo, o atacante Leandro Damião, que anotou para a Raposa, lamentou os problemas defensivos da equipe. “Fico triste porque eu posso tomar porrada, mas desde que o time vença. Infelizmente, acabamos tomando gols que eles conseguiram fazer no nosso erro”, disse.
Damião também reclamou do desgaste após o time ter feito o clássico contra o Atlético no domingo e, dois dias depois, ser obrigado a entrar em campo novamente. “É complicado a gente reclamar, depois falam que a culpa é do jogador, nós que fizemos as coisas erradas. É difícil. Quero ver colocar alguém para jogar com apenas um dia de descanso. No segundo tempo a gente sentiu bastante e, infelizmente, não conseguimos vencer”, lamentou.
Com a derrota em Buenos Aires, o Cruzeiro será obrigado a vencer o Universitario Sucre-BOL, na próxima terça-feira, no Mineirão, para não depender do resultado entre Mineros e Huracán, que vão se enfrentar na Venezuela.
Desta forma, a partida contra os bolivianos tornou-se mais uma decisão para o time celeste em pouco tempo. Isso porque, no domingo, o Cruzeiro fará o clássico contra o Atlético, no Mineirão, decidindo a vaga para a final do Campeonato Mineiro.
De novo, a Raposa terá apenas um dia de descanso. “O problema é que tem terça-feira também. Serão dois jogos seguidos de novo. Temos que aproveitar essa semana, com certeza o Marcelo vai querer treinar. A gente tem que saber dosar isso porque vão ser duas decisões, como foi o jogo de hoje, e não podemos dar mole novamente”, alertou o camisa 9.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.