terça-feira, 10 de Janeiro de 2012 10:20h Luciano Eurides

Cruzeiro em velocidade máxima

Pela primeira vez em 2012, o técnico Vágner Mancini comandou treinamento técnico na Toca da Raposa II. A atividade com bola foi aliada à preparação física, que é realizada desde o primeiro dia desta pré-temporada.
Mancini demarcou um pequeno espaço do gramado, onde 12 jogadores trocaram passes. Em outro campo da Toca da Raposa II, o preparador físico Flávio de Oliveira orientou atividades físicas para o restante do elenco.
Montillo, que segue assediado pelo Corinthians, manteve a rotina de treinos no Cruzeiro. O meia argentino e todos os sete reforços já anunciados estiveram em campo. Apenas o volante Marcelo Oliveira ainda não foi apresentado à imprensa.
A diretoria cruzeirense aguarda liberação do Porto para anunciar a contratação do atacante Walter. Outro jogador que está próximo de ter a chegada à Toca da Raposa confirmada é Osvaldo, que defendeu o Ceará no último Brasileirão.
Foi com muita velocidade que a Raposa conseguiu as suas melhores apresentações na temporada passada, principalmente na Copa Libertadores, quando o time aplicou goleadas e obteve vitórias memoráveis. E é nesse ritmo, em alta velocidade, que o técnico Vágner Mancini quer que o Cruzeiro seja caracterizado em 2012.
Por isso, a equipe tem sido montada em cima dessa ideia. “Sentimos a necessidade de mudar a forma da equipe jogar, com um pouco mais de velocidade, sofremos muito com isso após a saída de alguns atletas no meio do ano passado, em uma fase em que eu não estava aqui, e depois sofremos na reta final do campeonato pela falta desse quesito. Espero que este ano possamos ter mais, estamos tentando centralizar na força e na velocidade na frente”, disse o treinador.
Evidentemente, nem todos os atletas do elenco têm essa característica de velocidade. Aliás, isso até vai permitir alguma variação na forma de jogar do time, dependendo da necessidade ou até mesmo do adversário.  “Claro que ao longo do processo há alguma alteração em função da entrada de um ou outro atleta, que acaba tendo que modificar a equipe taticamente. Mas o que eu espero já para o início é que não percamos essa maneira de jogar, a trinca de volantes vai acontecer, mas que seja um time mais rápido, de recomposição mais e que agrida mais o adversário”, comentou Mancini.
E é exatamente isso, uma equipe que agrida mais o adversário, que o técnico cruzeirense quer adotar no time de 2012. “Eu não gosto de ver uma equipe que deixa o adversário jogar, temos belos exemplos disso, o jogo entre Barcelona e Santos no Mundial foi uma amostra disso, você tem que agredir mais. Pensando nisso escolhemos alguns atletas que têm uma dinâmica de jogo diferente, para que possamos ter o domínio do jogo na maior parte dele, ninguém consegue dominar por 90 minutos, mas se você tiver uma dinâmica mais acentuada, você tem uma chance maior de dominar a partida”.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.