terça-feira, 2 de Fevereiro de 2016 09:51h

Cruzeiro empata na estreia do estadual

O Cruzeiro não estreou bem no Campeonato Mineiro. Mesmo em casa, diante de pouco mais de 15 mil pagantes, a equipe criou pouco e não passou de um empate por 0 a 0 diante da URT

O resultado, como não poderia deixar de ser, desagradou o técnico Deivid, que não poupou críticas à forma como seus comandados se comportaram em campo. “Tocamos muito a bola lentamente. Tem que ser com mais velocidade e mais agressivo. Tocamos de um lado para o outro. A URT veio com os 11 atrás da linha da bola. Tinha hora que estávamos com dez no campo adversário, mas faltou aquele mano a mano do Alisson e do Marcos Vinícius ser mais agressivo. A gente lamenta o empate, não estava no nosso pensamento”, declarou.

 

 

A não ser por duas finalizações na trave, com Willian e Alisson, o Cruzeiro teve poucas chances de gol, o que incomodou Deivid. O treinador ficou feliz com a ampla posse de bola do time celeste, mas afirmou que tentará corrigir a falta de criatividade para as próximas partidas. “Tem que sair rápido e estávamos lentos na saída. O time deles conseguia se recompor, e aí começava tudo de novo. Precisamos ser mais agressivos. Gosto desse estilo de jogo, mas mais agressivo, com o objetivo de fazer o gol. Chutamos acho que 16 vezes, quatro ou cinco chutes certos, mas temos que criar mais. Temos qualidade para isso. Agora é trabalhar durante a semana para poder recuperar os pontos contra o Tombense”, comentou.

 

 

A primeira mudança em busca desta criatividade pode ser a escalação de Gabriel Xavier. O meia voltou a entrar no segundo tempo e foi bastante elogiado por Deivid. "Tenho conversado muito com ele, sobre a forma como ele gosta de jogar. Ele é armador. Contra o Criciúma, já tinha entrado bem, deu outro volume ao meio de campo. Esperamos que ele possa pegar mais confiança a cada dia e que continue aproveitando as oportunidades dele.”

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.