terça-feira, 22 de Abril de 2014 05:09h

Cruzeiro empata pela Libertadores e pode usar reservas na estreia dentro do Brasileiro

Depois do empate entre Cruzeiro e Cerro Porteño, dentro do Mineirão, a Raposa suou, foi surpreendida com um gol do Cerro ainda no primeiro tempo, mas aos 48 minutos da segunda etapa chegou ao gol de empate, após um chute forte do paraguaio Samudio.

Conhecedor do estilo do futebol do time visitante e ex-comandado do técnico Arce, quando atuou pela seleção paraguaia, o lateral esquerdo da Raposa, que já havia marcado contra o time da La U, no Chile, acabou sendo o salvador do time celeste na noite desta quarta-feira e manteve o time vivo na competição mais importante do continente. "O trabalho realizado pelo time foi muito importante, em momento algum desistimos e agora é pensar no próximo jogo. Trabalho para ajudar a equipe e estou contente por ter ajudado o Cruzeiro a conseguir um resultado importante", disse o paraguaio da Raposa.
Já o zagueiro Bruno Rodrigo, percebeu um certo cansaço na equipe celeste. Queríamos a vitória, mas ainda bem que conseguimos buscar o empate no final da partida. Acredito que a sequência pesada de jogos atrapalhou um pouco, mas agora vamos para lá (Paraguai) buscar a vitória para nos classificarmos", disse o zagueiro.
Cruzeiro e Cerro Porteño voltam a se enfrentar no próximo dia 30, na casa dos paraguaios, e o time do técnico Arce joga por um empate sem gols para se classificar para as quartas de final da Libertadores. O placar de 1 a 1 leva o jogo para os pênaltis e qualquer empate superior ou vitória dos mineiros, dá a classificação para o time comandado por Marcelo Oliveira.
O Cruzeiro pode poupar os titulares na primeira rodada do Campeonato Brasileiro, diante do Bahia, no domingo (20), às 16h, no estádio Fonte Nova. A informação é do próprio técnico Marcelo Oliveira, que ressaltou o desgaste físico do time após uma sequência de decisões no Campeonato Mineiro e na Copa Libertadores.
O treinador declarou que vai avaliar nesta quinta-feira as condições dos jogadores, com o cuidado para que nenhum se lesione, antes de decidir que equipe mandará a campo. Caso precise dos reservas, Marcelo não vê problemas. Ele elogiou o elenco celeste e demonstrou confiança nos suplentes. "A gente tem qualidade suficiente para jogar com outro time e até jogar bem, iniciar o Campeonato Brasileiro", disse.
Ressaltando a importância de não desgastar os atletas, o comandante cruzeirense citou o exemplo da partida contra Cerro Porteño, em que ele não pode contar com dois titulares. "Outro dia ouvi alguém dizendo que eu sempre faço as mesmas mudanças, do (Everton) Ribeiro, do Willian e do Dagoberto. É porque esses jogadores têm tripla função. Eles recompõem, armam o time e têm que chegar na área. Então eles se desgastam muito. Por isso o Dagoberto e o Goulart tiveram problemas hoje (ontem)."
O duelo entre Raposa e Tricolor, entretanto, corre o risco de ser adiado, pois a Polícia Militar baiana está em greve desde quarta-feira (15). A paralisação já provocou a suspensão dos jogos de Bahia e de Vitória na Copa do Brasil e também de partidas da segunda divisão do estadual local, devido à falta dos agentes de segurança nos estádios. A CBF ainda não se pronunciou sobre essa possibilidade da remarcação de data para Bahia e Cruzeiro.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.