quarta-feira, 16 de Abril de 2014 05:48h

Cruzeiro encara o Cerro Porteño pelas oitavas de final da Libertadores

Nas últimas duas partidas que fez no Mineirão o Cruzeiro decidiu contra o Real Garcilaso a sua vaga na terceira fase da Libertadores e, contra o Atlético-MG, o título de campeão mineiro deste ano.

Contra os peruanos, a Raposa garantiu a classificação com uma vitória por 3 a 0 e, diante do grande rival, levantou o caneco após empate em 0 a 0 na partida de volta da decisão do torneio.
Nesta quarta-feira, contra o Cerro Porteño, porém, o maior de Minas terá que, primeiramente, construir um bom placar em casa, no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores, para depois confirmar a sua classificação no duelo de volta, no Paraguai. “Esse jogo já muda um pouco, porque este confronto não vai ser resolvido em nossa casa. O Cruzeiro tem que entrar muito firme, forte, já que classificação não vai ser decidida aqui. Temos que fazer um bom placar para poder jogar lá com cautela, se possível jogar com o resultado, mas não deixar de ser o Cruzeiro nem dentro, nem fora de casa, para buscarmos a classificação”, destacou o volante Lucas Silva. “Uma vitória de 1 x 0 já seria um bom placar, mas, se possível, fazer um, dois, três gols vai ser melhor ainda”, completou.
Para o camisa 16, o caminho para que a Cruzeiro consiga um bom resultado no Mineirão passa pelo excelente desempenho da equipe no estádio, potencializado pelo apoio da China Azul, fundamental nas últimas partidas da Raposa. “Esperamos mais uma vez casa cheia, como aconteceu nos últimos dois jogos. O incentivo que a torcida nos dá na entrada do estádio e durante o jogo, isso é um coisa que só quem está em campo pode sentir. É algo de muito bom e positivo, que nos dá força dentro de campo”, ressaltou o prata da casa.
Um time que faz e leva muitos gols e que tem a força ofensiva concentrada em dois jogadores. Assim é o Cerro Porteño-PAR, adversário do Cruzeiro nas oitavas de final da Copa Libertadores da América.
A disputa por uma vaga nas quartas começa amanhã, às 22h, no Mineirão, e dois rivais merecem atenção especial dos homens de defesa da Raposa: o meia paraguaio Julio dos Santos  e o atacante espanhol Daniel Güiza. A dupla é responsável por oito dos dez gols marcados pelo Cerro na atual edição da Libertadores.
Revelado pelo próprio Cerro, Julio dos Santos é artilheiro da Libertadores com cinco gols. Ele tem 31 anos e soma 30 jogos pela seleção paraguaia. O meia já passou pelo Bayern Munique, Wolfsburg, Almería, Grêmio, Atlético Paranaense, além de ter disputado a Copa do Mundo de 2006.
O outro goleador da equipe comandada por Arce é o veterano Daniel Güiza, de 33 anos, que já balançou as redes três vezes. O jogador tem no currículo o título da Eurocopa de 2008 e passagens pelo Barcelona B, Getafe, Mallorca e Fenerbahçe-TUR. Ele defende o Cerro desde o ano passado. Após um período de adaptação, assumiu a titularidade nesta temporada.

 

Defesa 
Enquanto o ataque funcionou bem na fase de grupos da Libertadores, a defesa do Cerro foi vazada em todos os seis jogos. Foram nove gols sofridos, dos quais cinco em partidas como visitante.
O Cerro foi o primeiro colocado do Grupo 3, que tinha Deportivo Cali-COL, Lanús-ARG e O'Higgin-CHI.  O time paraguaio venceu três partidas, perdeu duas e empatou uma. O detalhe é que o Cerro não conseguiu vencer como visitante.  "Vai ser um jogo muito difícil. A equipe paraguaia joga de uma maneira muito diferente das outras equipes do país. O Cruzeiro tem que jogar da mesma maneira que está jogando. Estamos em um nível muito bom, estamos conseguindo ser contundentes e defender bem quando tem que defender. Como todos os jogos da Libertadores, será um jogo muito difícil", disse o paraguaio Samudio, titular da lateral esquerda do Cruzeiro e que conhece bem o adversário.
Mal no paraguaio, O Cerro ocupa apenas o sexto lugar no Abertura 2014, com 10 pontos. O líder é o Libertad, com 23. O Guarani (time que disputou a fase eliminatória da Libertadores e foi eliminado pela Universidad de Chile) é o vice-líder, com 17 pontos. Como prioriza a Libertadores, o Cerro usou um time alternativo em algumas partidas do nacional.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.