terça-feira, 25 de Novembro de 2014 05:29h Atualizado em 25 de Novembro de 2014 às 05:33h.

Cruzeiro faz história ao conquistar o Campeonato Brasileiro 2014

Quando o árbitro Paulo Godoy Bezerra apitou o fim de Cruzeiro e Goiás no Mineirão e a China Azul vibrou a conquista do bicampeonato brasileiro neste domingo, o clube celeste se tornou o time com mais conquistas nacionais desde a era dos pontos corridos

São quatro canecos levantados. Em 2003, foram dois títulos nacionais com o timaço que faturou a Tríplice Coroa ao levar o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil (além do Campeonato Mineiro).
No ano passado, a Raposa também passeou pelos gramados tupiniquins e levou o troféu com quatro rodadas de antecedência. Agora, com menos facilidade, mas com folga, o time celeste leva para o Barro Preto mais uma taça nacional, com dois jogos antes do fim da competição.
O tetracampeonato brasileiro conquistado pelo Cruzeiro, neste domingo, na vitória sobre o Goiás, no Mineirão, apenas confirmou a supremacia da equipe estrelada no cenário nacional pela segunda temporada consecutiva. Com um trabalho inquestionável, pode-se dizer que os dois títulos seguidos alçam Marcelo Oliveira ao nível dos maiores treinadores da história do clube celeste.
Os números do Cruzeiro nas mãos do atual comandante são impressionantes. Em 136 jogos, a equipe venceu 92, empatou 23 e foi derrotada somente 21 vezes. Um aproveitamento de 73%, o maior dentre todos os técnicos da história da Raposa, superando até Vanderlei Luxemburgo, que obteve 70,4% dos pontos em 107 jogos à frente do time entre 2002 e 2004.
Puxando pela ordem cronológica das grandes conquistas da Raposa, alguns comandantes se destacaram ao lado de Marcelo Oliveira. Primeiramente, os irmãos Airton e Zezé Moreira, que levaram o Cruzeiro aos títulos da Copa Brasil de 1966 e da Libertadores de 1976, respectivamente, feitos históricos que abriram as portas para o clube celeste no Brasil e nas Américas.
Depois, vieram Paulo Autuori, que estava à frente da equipe que levantou o bi continental em 1997, e Luxemburgo, responsável por montar o elenco campeão da Tríplice Coroa em 2003. Todos estes estão entre os treinadores que merecem ser lembrados para sempre pelos torcedores celestes. O lendário Ênio Andrade é outro que tem grande destaque na ‘galeria azul dos técnicos’.
E Marcelo Oliveira entra de vez na lista dos grandes técnicos da história do Cruzeiro pelos grandes feitos alcançados em dois anos seguidos de trabalho, sequência que os técnicos citados anteriormente não conseguiram obter no clube.
A euforia tomou conta de jogadores, comissão técnica e diretoria cruzeirense após a conquista do tetracampeonato brasileiro, concretizado neste domingo com a vitória por 2 a 1 sobre o Goiás, no Mineirão. Para os envolvidos, o segundo título nacional seguido teve um gostinho ainda mais especial que no ano passado, por consolidar o trabalho vitorioso iniciado imediatamente após a frustrante temporada de 2012. “É diferente de tudo. O bi é mais difícil de você conquistar. Os times já conhecem sua forma de jogar, já têm um respeito diferenciado, fica mais difícil. Nosso time mostrou competência, capacidade e união, que acho que foi o forte deste grupo”, explicou o zagueiro Dedé, que apesar de contundido participou da festa no gramado do Gigante da Pampulha.
Já o técnico Marcelo Oliveira enfatizou o bom ambiente existente no clube, algo fundamental para manter o Cruzeiro no caminho das vitórias. “Foi um trabalho bem feito pela diretoria, que apostou no grupo, dá apoio e também cobra quando preciso. Estamos com uma sintonia muito boa e os jogadores são guerreiros, como sempre. Tudo isso foi um trabalho, nada veio de mão beijada, nada foi doado, tudo foi construído com muito sacrifício e superação, além de união”, destacou o comandante.
Marcelo também lembrou que o Cruzeiro foi muito superior aos demais concorrentes durante toda a competição e que o título é um prêmio por tudo que foi feito em 2014. “Coroamos um trabalho de sete para oito meses, como melhor mandante, visitante, melhor ataque, time que mais ficou na primeira posição, maior sequência de vitórias, time com menos derrota”, disse.

 

 

Tríplice Coroa
Além do bicampeonato brasileiro, com o time quebrando vários recordes dentro da competição, Marcelo Oliveira já levou o clube à conquista do Estadual desta temporada, de forma invicta, e tem a chance de repetir a Tríplice Coroa se a equipe conquistar o título da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, no Mineirão, justamente no clássico contra o Atlético. Para isso, a Raposa precisará vencer por três gols de diferença ou repetir o placar de 2 a 0 do jogo de ida e levar a decisão para os pênaltis.
Independentemente do resultado na Copa do Brasil, Marcelo já deixou sua marca. Chegou no início de 2013 bastante criticado por boa parte da torcida, por causa da forte ligação com o arquirrival, no entanto, conseguiu provar competência e profissionalismo para cravar seu nome no Cruzeiro.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.