terça-feira, 24 de Novembro de 2015 10:36h Atualizado em 24 de Novembro de 2015 às 10:41h.

Cruzeiro fica com apenas 1% de chance para a Libertadores

O empate por 1 a 1 contra o Palmeiras, nesse sábado, no Allianz Parque, praticamente enterrou as chances de o Cruzeiro conseguir uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores da América

Para atingir este objetivo, o time celeste teria que vencer os dois jogos que restam no Campeonato Brasileiro, contra Joinville e Internacional, além de torcer por uma improvável combinação de resultados.
Para o técnico Mano Menezes, terminar o Brasileirão entre os quatro primeiros colocados sempre foi um sonho distante, principalmente por conta da desastrosa campanha do clube na primeira metade do torneio. “Sempre foi praticamente impossível. Era necessário um aproveitamento muito alto e ainda torcer para os adversários não pontuarem. Sempre tive essa consciência, para não criar frustração no final da temporada e apagar a reação que a equipe teve, que foi sair da zona do rebaixamento e brigar pelas zonas intermediárias e acima”, disse o técnico celeste.
Sobre a partida em si, Mano lamentou o fato de o Cruzeiro não ter matado o jogo nos primeiros 45 minutos, quando foi muito superior ao Palmeiras. “Fizemos 1 a 0 e deveríamos ter ampliado, pelo jogo que estávamos fazendo, mas não aproveitamos nosso melhor momento pra fazer um placar maior. Fizemos um segundo tempo muito abaixo, foi um jogo muito aquém do nosso padrão. Tivemos dificuldade de jogar. Estamos sujeito a uma faltinha aqui e ali, e, numa bola na área, tomamos o empate”, ponderou.
O técnico do Cruzeiro também explicou o lance que ocasionou sua expulsão, momentos antes do gol de empate dos paulistas. “Minha expulsão foi a seguinte, o Leandro Almeida em momento algum foi na bola, foi nas costas para atingir o Willian com uma joelhada. O árbitro viu que o Willian estava pronto para voltar e ele não quis apontar. Tanto que o quarto árbitro segura o Willian. Disse a ele que ele tinha prejudicado duas vezes, pela falta e pelo fato de ficarmos com um jogador a menos. Ele achou que o conteúdo estava certo, mas reclamou de eu levantar os braços demais”, argumentou.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.