quarta-feira, 29 de Agosto de 2012 13:23h Luciano Eurides

Cruzeiro não admite outro resultado sem ser a vitória

Em entrevista coletiva após o treino de ontem, o último antes do jogo contra o Atlético-GO, o técnico Celso Roth falou das dificuldades que aguardam o Cruzeiro no estádio Serra Dourada

Em entrevista coletiva após o treino de ontem, o último antes do jogo contra o Atlético-GO, o técnico Celso Roth falou das dificuldades que aguardam o Cruzeiro no estádio Serra Dourada, nesta quarta-feira, às 22h, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro.
Para o treinador o jogo é dificílimo. “O Atlético-GO mesmo estando na zona de rebaixamento vem crescendo na competição”, lembrou.Além da equipe goianiense, o técnico cruzeirense pede atenção em relação ao tamanho do gramado do Serra Dourada. “Teremos muitos dificuldades no Serra Dourada, que é absolutamente diferente do Independência. O jogo tem que ser jogado. Não é tanto de choque e competição, então vamos ver como vamos nos adaptar para fazer um bom jogo e encaminhar um bom resultado, que é o que a gente precisa”.

 


A partida contra o time goiano será a primeira do Cruzeiro no segundo turno. Celso Roth cobra ao menos o mesmo nível de atuação que a equipe azul teve no clássico do último fim de semana, para que o time estrelado evolua no returno. “Esperamos, no mínimo, o que foi feito no clássico. Se nós continuarmos dentro dessa condição, nós podemos fazer um campeonato muito bom”, ressaltou.

 


O jovem volante Lucas Silva, aos poucos, vai vivenciando as novidades desde sua estreia na equipe profissional. Após sua estreia, quando entrou no segundo tempo da partida contra a Portuguesa-SP, no Canindé, no dia 18 de julho, em São Paulo-SP, e ajudou a Raposa a vencer por 2 a 0; Lucas já comemorou a primeira atuação como titular, e durante todo o tempo, na vitória de 1 a 0 sobre o Bahia, em 11 de agosto, no estádio de Pituaçu, em Salvador-BA; e, no último final de semana, participou pela primeira vez (como profissional) do clássico contra o Atlético.

 


Hoje, o jovem atleta vive a expectativa de atuar pela primeira vez perto de sua família e amigos. “Com certeza. Até havia comentado com alguns jogadores aqui, que vou jogar em casa, com o apoio da torcida, dos meus familiares. É diferente, mais uma novidade. A minha expectativa é grande, vou tentar fazer um gol para os meus familiares, que já me pediram. Mas vou fazer o meu futebol normal, simples, como venho fazendo. Vai ser um jogo bastante diferente para mim, particularmente, pelo fato de a família estar presente no estádio também”.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.