sexta-feira, 24 de Fevereiro de 2012 09:12h Atualizado em 24 de Fevereiro de 2012 às 10:34h.

Cruzeiro prega respeito ao Democrata GV

O resultado do último encontro entre Cruzeiro e Democrata-GV, e a posição do adversário deste sábado no Campeonato Mineiro não iludem o técnico Vágner Mancini. No ano passado, a Raposa aplicou 7 a 0 sobre a equipe de Governador Valadares, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, pelo Estadual. Na edição 2012, a Pantera ocupa a última colocação, com três derrotas em três jogos disputados (foram 11 gols sofridos e apenas um marcado).
Porém, Vágner Mancini ressalta que o Cruzeiro, que vem de duas vitórias consecutivas (sobre Tupi, por 3 a 0; e Nacional, de Nova Serrana, por 4 a 2), precisa respeitar o adversário, ciente de que o Democrata-GV vai lutar muito para conseguir a sua primeira vitória no Campeonato Mineiro. As duas equipes se enfrentam neste sábado, às 17h, no estádio José Mammoud Abbas, em Governador Valadares, pela 4ª rodada do Estadual. “Nossa obrigação é ir lá, se empenhar e buscar o resultado positivo, obviamente. Não é porque em 2011 foi 7 a 0 que nós temos a obrigação de chegar lá e fazer cinco, seis ou sete gols. Obviamente que é um jogo muito importante para que a gente possa se afirmar no campeonato, mas sabendo que do outro lado tem uma outra equipe, que também não é a mesma de 2011. Então, em cima disso tudo, a gente tem que ter cuidado, respeitando o adversário, e, a partir daí, a gente vai lutar para que seja mais uma vitória”.
Questionado sobre o fato de o Cruzeiro enfrentar o lanterna do Estadual, Mancini alerta para o perigo de pensar que vai enfrentar um adversário fácil e acabar tendo problemas. Assim, o treinador cruzeirense quer que os seus jogadores mantenham o foco para se impor e conseguir a vitória. “Lanterna até o jogo de sábado. Quando a bola rolar, acabou. A gente não pode, de maneira nenhuma, bobear para que isso não possa se voltar, de certa forma, contra a gente. É muito importante que nosso foco seja mantido, que o Cruzeiro possa fazer um grande jogo no sábado, porque são pontos que estão em disputa, que são muito importantes para ambos, mas é óbvio que nós achamos que eles devem ficar com a gente”.
Sem o armador Roger, que lesionado vem desfalcando a Raposa nos treinamentos, o técnico Vágner Mancini optou por escalar o volante Rudnei entre os titulares. O jogador garante que se for acionado que está pronto entrar e ajudar o Cruzeiro. O atleta não esconde a ansiedade para ocupar seu lugar no time. “O técnico Mancini está confiando em mim, está me colocando nos jogos. Eu aguardo a minha chance, entro com vontade e determinação. Estou querendo demais ser titular do Cruzeiro. E tenho que esperar, porque a minha chance uma hora vai chegar. Ele não antecipou nada não. Mas eu estou ansioso sim, esperando a minha oportunidade vir. Se não vier, vou continuar trabalhando e esperar”, declarou.
Rudnei revela que não possui as mesmas características de Roger, mas que também sabe jogar com a bola no pé. “Eu procuro marcar mais, o Roger é mais toque de bola, enfiada de bola. Eu sou um jogador mais de marcação, que procuro sair para o jogo também e ajudar os atacantes”, disse.
Desde que chegou ao Cruzeiro, Rudnei disputou apenas três partidas, e ainda não teve a chance de ser titular. O principal motivo para ainda não ter ocupado o espaço no time celeste seria uma lesão no nariz, sofrida logo na estreia com a camisa cruzeirense, fato que o jogador prefere esquecer. “Nem gosto de lembrar, fiquei sete minutos em campo, nem toquei na bola e fraturei o nariz. No decorrer dos jogos vamos nos entrosando, ganhando ritmo, e vai dar tudo certo, vamos engrenar”, comentou.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.