sexta-feira, 19 de Setembro de 2014 05:55h

Cruzeiro segue líder absoluto no Brasileirão

O técnico, Marcelo Oliveira, está com o Cruzeiro praticamente definido para o clássico deste domingo, contra o Atlético, no Mineirão, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Crédito: Gualter Naves/ LightPress

A não ser que algum problema de ordem física apareça de última hora, o time será o mesmo que venceu o Atlético-PR, apenas com a volta de Ricardo Goulart na vaga de Júlio Baptista.

O treinador também confirmou que o jovem Alisson, autor de um dos gols contra o Furacão, é hoje o dono de uma das vagas no ataque. “O Alisson é um jogador importante. Tirei ele no decorrer do jogo contra o Atlético-PR para não correr risco de levar algum outro cartão e ficar fora do clássico.

Naturalmente, ele é titular e está jogando muito bem”, elogiou.


Alisson é o terceiro atleta formado na base celeste a conquistar uma vaga no time titular. Antes dele, o volante, Lucas Silva, e o lateral-direito, Mayke, também já haviam ganhado espaço com Marcelo, que sempre dá uma atenção especial aos jovens valores do clube. “Os jogadores jovens estão jogando muito bem, se mostrando de forma brilhante, nos ajudando muito. Eles estavam sendo preparados, às vezes você lança um jogador num momento inoportuno e ele pode se queimar. A gente tem esse cuidado, porque também já trabalhamos muito tempo com jovens”, explicou.


Foi com declarações curtas e críticas que Muricy Ramalho falou sobre a derrota do São Paulo para o Coritiba por 3 a 1 no Couto Pereira, na noite de quarta-feira, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. Irritado com o resultado, que fez o time estacionar nos 42 pontos e permitiu ao Cruzeiro abrir novamente sete pontos na liderança após os mineiros vencerem o Atlético-PR por 2 a 0, o treinador não escondeu que não gostou da atuação.


A principal reclamação do treinador foi pela morosidade da equipe depois de ter aberto o placar no fim do primeiro tempo. Para Muricy, o São Paulo pagou caro por não se esforçar para marcar o segundo e reduzir as chances de reação do adversário. "Nós nos acomodamos um pouco. O jogo estava controlado no começo do segundo tempo, mas era hora de matar o jogo e sofremos o empate. Do meio para frente nos acomodamos", reclamou o treinador, que minimizou a ausência de Kaká (suspenso) na partida. "Claro que faz falta, mas o jogador que entrou no lugar dele fez o gol. Faltou um pouco mais da gente."


O São Paulo agora se vê obrigado a vencer o Corinthians no Itaquerão para evitar que o Cruzeiro dispare ainda mais na liderança. Os mineiros também têm um compromisso complicado e fazem o clássico regional com o Atlético no Mineirão. Os dois jogos serão no próximo domingo. "O Cruzeiro erra pouco, mas não está definido. O campeonato pode voltar a ficar com a diferença baixa, mas precisamos ganhar o clássico domingo porque eles também têm um jogo complicado", analisou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.