sexta-feira, 14 de Novembro de 2014 05:47h

Cruzeiro terá de lutar muito se quiser o título da Copa do Brasil

O Cruzeiro saiu em desvantagem na decisão da Copa do Brasil. No primeiro jogo, no Independência

O Cruzeiro saiu em desvantagem na decisão da Copa do Brasil. No primeiro jogo, no Independência, nessa quarta-feira, caiu por 2 a 0 diante do Atlético e agora precisará vencer por três gols de diferença na volta, dia 26, no Mineirão, se quiser conquistar o título – um novo 2 a 0 leva a disputa para os pênaltis. Após o apito final, o técnico Marcelo Oliveira tentava encontrar explicações para um desempenho tão abaixo do esperado do lado celeste.
Ele atribuiu ao cansaço a queda de desempenho de jogadores como Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart. Segundo Oliveira, os dois são fundamentais para o time e tiveram atuações apagadas porque estão "absolutamente desgastados". O time lidera o Campeonato Brasileiro e o técnico alegou que não tem como poupar atletas. "Tenho falado da preocupação com esse calendário desumano. Os jogadores estão muito cansados. Outra possibilidade é apostar tudo na Copa do Brasil", disse.
Mas, sem citar o adversário, o técnico celeste também lembrou que "foi possível para outras equipes modificar situações adversas" na competição. "Por que não pode com o Cruzeiro, que tem um ambiente maravilhoso e jogadores que se doam muito? A gente vai preparar muito para esse jogo para buscar o resultado. Podem estar certos todos os torcedores que o Cruzeiro vai lutar muito para mudar essa situação. É apostar nisso e tentar descansar na medida do possível os jogadores", concluiu.
Marcelo Oliveira não escondeu a decepção com o resultado, mas se apegou no bom futebol já apresentado pelo Cruzeiro na temporada e na aposta de um Mineirão lotado na volta para seguir confiante na conquista. "Estamos chateados hoje [quarta], mas temos o jogo de volta. Lá terão 50 mil pessoas. Podemos jogar melhor."
O treinador celeste reconheceu que o Atlético jogou melhor e minimizou até mesmo o primeiro gol do Atlético, marcado por Luan em posição de impedimento.  "Achei que foi merecido. Não tanto pelo Atlético ter nos sufocado o tempo todo, mas eles tiveram um equilíbrio maior. O Cruzeiro não conseguiu jogar como normalmente joga. Um pouco na marcação, mas principalmente nas jogadas de ataque, no envolvimento que tem, na parte técnica, no conjunto. Isso aconteceu um pouco pelo gol em impedimento, o que faz muita diferença em um jogo difícil como esse, mas não é desculpa. Mesmo depois, finalizamos muito pouco. O Atlético também não finalizou tanto, mas foi mais decisivo. Sabíamos que era difícil e não conseguimos, principalmente jogadores importantes para armação do time. Talvez por cansaço, talvez por inspiração ou mesmo pela marcação", analisou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.