quinta-feira, 11 de Outubro de 2012 09:57h Gazeta do Oeste

Cruzeiro vence a Portuguesa e respira no Brasileiro

Depois de sete jogos de jejum e um medo latente da torcida celeste de ver o Cruzeiro brigando contra o rebaixamento no fim do campeonato, o clube celeste voltou a vencer

Fim de angústia. Depois de sete jogos de jejum e um medo latente da torcida celeste de ver o Cruzeiro brigando contra o rebaixamento no fim do campeonato, o clube celeste voltou a vencer no Brasileirão. Foi contra a Portuguesa, nesta quarta-feira, em Varginha, por 2 a 0. Montillo, de pênalti, marcou o primeiro, e Souza deu números finais.

 

Foi o 22º gol do argentino em Brasileiros. Ele igualou o colombiano Aristizábal como maior artilheiro estrangeiro da história celeste na maior competição nacional. Na próxima rodada, o Cruzeiro enfrenta o Flamengo, fora de casa, sábado, às 18h30. Já a Portuguesa recebe o Corinthians, no Canindé, no mesmo dia, às 21h.

 

Placar justo

 

O Cruzeiro começou a partida melhor que a Portuguesa. Com Marcelo Oliveira e Willian Magrão, o meio-campo de marcação parecia à vontade para avançar ao lado de Montillo. A primeira grande chance celeste veio de cruzamento pela direita de Diego Renan. A bola foi na cabeça de Anselmo Ramon, que subiu sozinho perto da pequena área, mas cabeceou por cima do gol.

 

Aos 22 minutos, Montillo fez boa jogada individual pela direita, penetrou na área e cruzou, mas a bola passou por toda a extensão do gol e não chegou ninguém para empurrar. A essa altura, a Lusa já abria mão de jogar somente na defesa equilibrava as ações ofensivas da partida, em um duelo franco, que durou pouco tempo.

 

Logo depois, o Cruzeiro chegou a esboçar pressões sobre a Portuguesa em ataques consecutivos, mas nenhum deles ofereceu tanto perigo ao gol paulista. Em contrapartida, a Portuguesa chegou com enorme perigo aos 29 minutos, num contragolpe. Montillo perdeu a bola no meio-campo e a defesa celeste parou pedindo impedimento. Ananias, sozinho, dentro da área, finalizou para grande defesa de Fábio.

 

Quatro minutos depois, foi a vez do Cruzeiro desperdiçar sua melhor chance na partida. Montillo disparou de fora da área, Dida rebateu e Borges perdeu, frente a frente com o goleiro, mandando a bola sobre a trave. No lance seguinte, Everton cruzou para a área e Borges cabeceou, mas a bola bateu no braço de Valdomiro. O árbitro assinalou pênalti. Montillo cobrou com categoria, no canto esquerdo de Dida, e fez justiça no placar: 1 a 0.

 

Situação invertida

 

Se o placar de 1 a 0 na primeira etapa fez justiça ao maior volume de jogo do Cruzeiro na partida, no segundo tempo a situação se inverteu. A Portuguesa começou em cima desde o primeiro minuto e o clube celeste se safou do empate em diversas defesas de Fábio.

 

Logo aos quatro minutos, Marcelo Cordeiro fez cruzamento rasteiro na pequena área do Cruzeiro. A bola percorreu toda a extensão do gol, mas Bruno Mineiro não conseguiu chegar para empurrar para as redes.

 

Aos 15 minutos, Leo Silva lançou Marcelo Cordeiro, que cruzou para Bruno Mineiro empatar, mas o árbitro marcou impedimento no início da jogada. A Lusa seguiu melhor na partida até a entrada de Martinuccio no time celeste. O argentino colocou fogo na partida e equilibrou as ações ofensivas.

 

Aos 28 minutos, ele driblou a zaga paulista e cruzou na medida para Anselmo Ramon, que chegou atrasado e perdeu na pequena área, debaixo da trave. O jogo seguiu aberto até o fim, mas o Cruzeiro ratificou a vitória com um gol de Souza aos 48 minutos, que levou o clube aos 39 pontos e findou um jejum que já durava sete partidas.

 

 

 

 

 

SUPERESPORTES

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.