terça-feira, 25 de Outubro de 2011 13:42h Luciano Eurides

Cruzeiro volta a vencer

O Cruzeiro encarou o jogo na Arena do Jacaré, no domingo, com muita disposição por parte dos jogadores, o que foi decisivo para a vitória de 3 a 2 sobre o Atlético-GO, depois de ficar duas vezes em desvantagem no placar, em jogo válido pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro.


Para o técnico Vágner Mancini, a entrega dos atletas foi fundamental, já que até os jogadores de características ofensivas ajudaram na marcação. “O Roger, o Montillo, o Elber, os dois atacantes, viram que não tínhamos um time marcador em campo. Eles tiveram que se doar, o Roger jogando como segundo homem de meio-campo, dando uma saída de bola que é uma coisa que ele tem, que é uma habilidade nata. Essa entrega deles, de entenderem o que estava sendo feito de fora para dentro, e a entrega foi 100%, acho que até acima de 100%”, destacou Mancini.


O meia Roger confirmou aquilo que foi dito pelo treinador, e explicou que, quando entrou na partida, ainda no primeiro tempo, já estava encarregado de atuar um pouco mais recuado do que de costume, já que Marquinhos Paraná foi deslocado para a lateral. “Eu joguei de volante mesmo, defensivamente, fazendo só o papel defensivo. Perdemos o Vitor no primeiro tempo, e o Marquinhos (Paraná) foi para a ala. Eu fiz a função de volante. Era um jogo muito mais de sacrifício do que de qualidade técnica”, disse Roger, que avisou à torcida: “A torcida pode esperar essa disposição, essa entrega. O que a gente pode dar ao torcedor é isso. Os resultados aparecem quando a gente faz, dentro de campo, o trabalho. Mas a entrega, a disposição, colocar o coração, a gente sempre vai fazer, com certeza”.


Por fim, questionado sobre o fato de ter ajudado muito na marcação, o atacante argentino Ernesto Farías disse que isso havia sido pedido por Vágner Mancini, e que, quando o resultado era favorável ao Cruzeiro, passou a ajudar os companheiros na defesa. “Sim, o treinador disse para que, se o time estivesse ganhando, que fizesse essa função. De fato, vi que o time necessitava dessa ajuda e fiz aquilo que havia sido falado. Ganhamos, jogamos bem. O Cruzeiro está numa situação que é necessário jogar como jogamos”.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.