quarta-feira, 8 de Agosto de 2012 16:31h Daniel

Cuca completa um ano de Atlético

Depois de se transformar no técnico da “era Kalil” com maior tempo no cargo e maior número de jogos, Cuca alcança outra marca importante: um ano no comando. Foi exatamente em 8 de agosto de 2011 que o treinador foi apresentado na Cidade do Galo como substituto de Dorival Júnior.

No ano passado, Cuca salvou o Atlético do rebaixamento. “Eu descreveria como um começo complicado que requer um tempo para conhecer o grupo e tirar dos jogadores o máximo. Dificuldade que todo treinador enfrenta. Demora até ter um conhecimento maior do grupo, fazer algumas mudanças. Trazer novos jogadores e definir o time titular. O segundo turno do Brasileiro do ano passado foi muito bom, com exceção do último jogo. Terminamos em oitavo, com 30 pontos (segundo turno) e atingimos o objetivo que era ficar na Primeira Divisão. Teve um momento no ano passado que chegou a 76% de chance de cair”, analisa.

Em 2012, destaque para o título invicto do Campeonato Mineiro e da ótima campanha que o clube faz, até o momento, no Brasileirão. “Mantivemos uma base e contratamos bem. Fomos campeões mineiros invictos. Fizemos o primeiro terço do Brasileiro muito bem feito e tomara que possamos seguir em frente assim, se não com esses números tão bons, mas com condição de brigar pelo título”, afirma.

Cuca valoriza o atual momento do Galo. “Não acabou. Tomara que a gente consiga acabar o ano de 2012, assim como estamos conduzindo esses sete meses. São sete meses com duas derrotas. Uma coisa rara de ocorrer. Estamos equilibrados e sem problema. Não tem confusão e espero que a gente vá assim até o final. Eu fiquei um ano no Cruzeiro e se Deus quiser aqui ficar mais um ano, quem sabe até mais. É lógico que o que faz o treinador ficar mais tempo em uma equipe grande como o Atlético é resultado. Hoje, estamos muito contentes e Deus abençoe que podemos continuar ganhando”, ressalta.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.