quarta-feira, 11 de Fevereiro de 2015 11:07h

Daniel Nepomuceno recebe troféu Guará e fala que estádio próprio é um sonho atleticano

O presidente do Atlético, Daniel Nepomuceno, demonstrou otimismo quanto à construção do estádio do clube, que seria erguido no bairro Califórnia, Região Noroeste de Belo Horizonte

Ele disse, porém, que ainda se trata de um sonho. “[Estou] otimista. O Atlético precisa ter o estádio dele. Acho que um estádio para 40, 50 mil pessoas é a cara do Atlético e a gente vai buscar isso”, garantiu o dirigente em entrevista à Rádio Itatiaia durante a entrega do Troféu Guará BMG, na noite dessa segunda-feira. “Sabe-se da dificuldade de aprovar um projeto desses, conseguir uma área em BH que comporta um equipamento desses. O principal a gente avançou”, completou o presidente alvinegro.
Segundo Nepomuceno, o clube já conseguiu parceiros que começam a ver o projeto como interessante. Mas ele citou os problemas econômicos do Brasil como fator que atrasou o planejamento para a construção. “Não está tão próximo porque esse ano foi de um impacto econômico muito negativo no país e atrapalhou a velocidade do projeto, mas vamos tentar buscar o sonho. Ainda é um sonho”, ressaltou.
Daniel Nepomuceno falou da questão Mineirão. “A discussão que foi feita com o Estado, com o Mineirão, com o Independência avançou de uma maneira que não ficou boa. O Independência é excelente, mas ainda falta ao Atlético um estádio maior e a questão do Mineirão é o contrato, que foi feito com uma empresa que explora bem, mas os clubes ficaram afastados dessa negociação no momento propício.”
Sobre contratações. “O Atlético, apesar de estar com esse elenco pronto, se aparecer jogadores como andam aparecendo, que querem jogar no time, com um uma proposta que não vai atrapalhar as finanças do clube, a gente vai estar sempre aberto.”
Sobre elenco. “O Atlético, hoje, se não tiver o melhor elenco, está com o elenco entre os três melhores do Brasil. É um time que tem um corpo técnico muito bom, que movimenta bem a bola. Agora, ganhar, são centenas de detalhes. O time está muito seguro. Agora é deixar a bola rolar e continuar com essa força que, eu não tenho dúvida, a gente vai poder levantar alguns troféus esse ano.”
Sobre o Troféu Guará. “Acho que essa premiação é uma daquelas que você sonha, é o prêmio que todo dirigente quer levar. Contando com a sorte, agora com o Levir, com o elenco e com a diretoria que me abraça, vamos ver se esse ano a gente faz um bom trabalho para poder estar aqui recebendo o prêmio.”

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.