terça-feira, 15 de Março de 2016 11:07h Atualizado em 15 de Março de 2016 às 11:33h.

Deivid é o segundo do Mineiro, mas com números ruins

As cobranças de parte da torcida e da imprensa em cima do trabalho de Deivid aumentam a cada partida

Pressionado também pelo presidente Gilvan de Pinho Tavares para definir um ‘time ideal’, o técnico se apoia nos resultados, já que a Raposa está na vice-liderança do Campeonato Mineiro após seis rodadas – lembrando que o Cruzeiro possui um jogo a menos, que será realizado hoje no Mineirão, contra o Uberlândia. No entanto, os números estão contra o comandante que, depois de dez jogos à frente do clube, registra um dos piores inícios de trabalho de um treinador que assumiu o clube celeste no começo da temporada.

 

 


Desde que assumiu o Cruzeiro, Deivid acumula seis vitórias, três empates e apenas uma derrota (aproveitamento de 70%). Mas um levantamento realizado pelo site da Itatiaia mostra que o atual treinador celeste só obteve um melhor rendimento no começo do trabalho na Raposa do que Paulo Autuori, que conseguiu 60% dos pontos nas dez primeiras partidas à frente do time celeste em 2007 (5 vitórias, 3 empates e 2 derrotas).
No levantamento, foi considerado apenas os treinadores que assumiram o Cruzeiro em janeiro. Isso porque seria injusto comparar um técnico que pegou o time no meio do Campeonato Brasileiro, disputando com adversários de melhor qualidade do que no Mineiro.

 

 


Considerando-se o início de trabalho dos dez últimos técnicos que passaram pelo Cruzeiro, Deivid está atrás de oito deles: Marcelo Oliveira (que obteve 93,3% nos dez primeiros jogos depois que assumiu a Raposa em 2013), Adílson Batista (93,3% em 2008), Vanderlei Luxemburgo (93,3% em 2003), Vágner Mancini (86,6% em 2012), Marco Aurélio (86,6% em 2002), Levir Culpi (83,3% em 2005), PC Gusmão (80% em 2006) e Cuca (76,6% em 2011).
Apesar de terminar a sexta rodada do Campeonato Mineiro na vice-liderança, Deivid vem recebendo críticas por não conseguir dar uma ‘cara’ ao time e pelo futebol pouco convincente. A equipe vence, mas com placares magros e tomando sufoco dos adversários. Mas o treinador rebate as análises.

 

 


“Não tem cobrança. Eu sou o vice-líder da competição. Quero ganhar sempre de 1 a 0 e ser campeão no final da competição. A competição não acabou. Não adianta liderar de ponta a ponta e depois perder o título. Temos que subir gradativamente pra ter as vantagens no final”, declarou o treinador após a vitória por 1 a 0 sobre a Caldense, em Poços de Caldas, no último dia 06, que alçou o Cruzeiro à ponta da tabela do Estadual.
Número de gols marcados é o mais baixo

 

 


A política de Deivid de vencer por 1 a 0 é o que acaba refletindo no desempenho ofensivo neste ano. Se com ele o Cruzeiro tem o segundo pior aproveitamento comparando com as dez primeiras partidas realizadas pelos últimos técnicos que comandaram a equipe, o ataque de 2016 é o que menos marcou gols no mesmo recorte.
Foram apenas 14 gols em dez jogos nesta temporada. Antes de Deivid, quem tinha assumido o Cruzeiro no início da temporada era Marcelo Oliveira, em janeiro de 2013. Nas dez primeiras partidas, o time celeste balançou as redes 28 vezes, ou seja, o dobro.

 

 


Pelo levantamento realizado a partir de 2002, todos os outros técnicos que iniciaram o ano na Raposa também conseguiram fazer a equipe marcar mais gols do que os comandados de Deivid.
Ao término da sexta rodada do Campeonato Mineiro, o Cruzeiro fez apenas seis gols. Desta forma, o time celeste é o dono de um dos piores ataques da competição, superando somente Tupi, URT e Guarani, que balançaram as redes cinco vezes em seis jogos.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.