domingo, 26 de Agosto de 2012 14:44h Gazeta do Oeste

Depois de dois anos e meio, clássico volta a Belo Horizonte

Belo Horizonte ficou mais de dois anos sem receber o maior clássico do futebol mineiro. Desde o fechamento do Mineirão, em junho de 2010, Cruzeiro e Atlético se enfrentaram oito vezes fora da capital. Em sete oportunidades, o palco do embate foi a Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. O Parque do Sabiá, em Uberlândia, também teve um duelo entre os rivais.

 

Neste domingo, às 18h30, no Independência, os arquirrivais voltam a jogar para o público de BH. Porém, a decisão de contar com torcida única, assim como nos jogos realizados no interior, foi mantida e apenas o time celeste, que é mandante, terá representantes no estádio.

 

Com campanhas distintas no Brasileiro’2012, o reencontro entre os clubes terá objetivos diferentes para cada equipe. O Atlético é um dos favoritos ao título nacional e o clássico pode representar confiança para continuar na frente no segundo turno. Já o Cruzeiro busca estabilidade na tabela, e uma vitória sobre o maior rival pode aproximar o time do G-4.

 

No Galo, apenas uma dúvida

 

Líder isolado do Brasileiro, com 42 pontos, o Atlético terá duas missões no clássico deste domingo: buscar os três pontos para abrir vantagem sobre o Fluminense, que está em segundo, e vencer o arquirrival diante apenas da torcida adversária, fato que comprovará o bom momento do Alvinegro na competição.

 

Sem ter nenhum jogador no departamento médico, a única baixa para o técnico Cuca é o armador Escudero, suspenso com três cartões. De qualquer forma, o argentino é reserva no elenco e a principal dúvida está no meio-campo: Danilinho e Guilherme brigam pela última vaga entre os titulares. Durante a semana, o treinador confessou que só falta definir essa situação para escalar o Galo. “Vocês sabem qual é o time. Não tem o que esconder. A minha dúvida é entre Danilinho e Guilherme”, disse Cuca.

 

Ao comentar se existe um favoritismo atleticano, por conta da campanha no Brasileiro, o comandante adotou um discurso de cautela e disse que as duas equipes têm condições técnicas para vencer. “Sempre a gente tem a ideia de um jogo igual, mesmo sendo mando do adversário, que terá apenas o seu torcedor no estádio. Mas estamos preparados para um jogo difícil, de dois times grandes, que qualquer um pode vencer”, frisou o treinador.

 

A provável escalação do Atlético será Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Réver e Júnior César; Pierre, Leandro Donizete, Bernard, Ronaldinho e Danilinho (Guilherme); Jô.

 

No Cruzeiro, mistério até o vestiário

 

Se o Cruzeiro já não inspira tanta confiança à torcida e tem aspirações mais modestas do que o Atlético no Campeonato Brasileiro, um vitória sobre o maior rival é justamente o que o torcedor celeste precisa para elevar a autoestima. Para tanto, o clube conta com um retrospecto recente positivo sobre o Galo.

 

Nos últimos 20 clássicos em que houve um vencedor, o Cruzeiro derrotou o rival em 16 deles, com direito a duas goleadas por 5 a 0 e uma por 6 a 1. Dos quatro triunfos alvinegros nesse tempo, nenhum deles foi em duelo decisivo (o último título conquistado pelo Galo em que o time derrotou o Cruzeiro pelo menos uma vez no torneio foi no Mineiro de 2007).

 

O técnico Celso Roth espera apoio maciço do torcedor celeste no Independência para superar o Atlético mais uma vez. “Espero que sim, apesar do nosso momento irregular. O torcedor do Cruzeiro é acostumado a grandes títulos, diferente da torcida rival. A história do Cruzeiro recente é absolutamente diferente da do rival. Estamos com campanha razoável, e nesse momento do rival melhor, precisamos do torcedor junto”.

 

Roth faz mistério com relação à escalação da equipe. Borges e Ceará foram relacionados, mas ainda se recuperam de dores no tornozelo. Apesar do incômodo, eles devem participar do duelo. O possível Cruzeiro para o clássico tem Fábio, Ceará, Leo, Thiago Carvalho e Everton; Leandro Guerreiro, Lucas Silva, Tinga e Montillo; Fabinho (Anselmo Ramon) e Borges.

 

Cruzeiro x Atlético

 

Cruzeiro: Fábio, Ceará, Leo, Thiago Carvalho e Everton; Leandro Guerreiro, Lucas Silva, Tinga e Montillo; Fabinho (Anselmo Ramon) e Borges.


Técnico: Celso Roth

 

Atlético: Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Réver e Júnior César; Pierre, Leandro Donizete, Bernard, Ronaldinho e Danilinho (Guilherme); Jô.


Técnico: Cuca

 

Motivo: 19ª do Campeonato Brasileiro
Estádio: Independência, em Belo Horizonte
Data: 26 de agosto, domingo, às 18h30
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)
Assistentes: Márcio Eustáquio Santiago (MG) e Guilherme Dias Camilo (MG)

 

 

 

 

 

 

 

SUPERESPORTES

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.