sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2016 09:44h

Derrota frente ao Fluminense complica o Cruzeiro dentro da Primeira Liga

Em uma partida eletrizante, mas com arbitragem um pouco confusa, a torcida do Cruzeiro saiu mais triste do Mineirão

Após a equipe celeste abrir o placar logo aos quatro minutos do jogo, mas viu o Fluminense virar o placar e ampliar para 3 a 1 ainda na etapa inicial. A Raposa buscou o empate no segundo tempo, porém o Tricolor Carioca, em um pênalti duvidoso, fez 4 a 3 e saiu vitorioso do Gigante da Pampulha, nesta quarta-feira, pela segunda rodada do Grupo 5 da Primeira Liga.

 


Com três gols, sendo dois de pênalti, Diego Souza foi o nome do jogo. Gustavo Scarpa também deixou sua marca para o Fluminense. Rafael Silva, duas vezes, e Arrascaeta marcaram para o Cruzeiro.
O resultado complicou a situação da Raposa na competição. A derrota jogou a equipe celeste para a última colocação do Grupo 3, com apenas um ponto, empatado com o Criciúma, porém com dois jogos contra um apenas dos catarinenses.
Já o Fluminense pulou para a segunda posição, com três pontos, mas com uma partida a mais do que o Atlético-PR, que lidera com a mesma pontuação e ainda fará o jogo contra o Criciúma, no próximo dia 24, pela segunda rodada do grupo.

 


Na última rodada, o Cruzeiro precisará vencer de qualquer maneira o Atlético-PR, no dia 9 de março, no Mineirão, e ainda contar com outros resultados para conseguir uma vaga nas semifinais da Primeira Liga. Já o Fluminense recebe o Criciúma, dia 10 de março, em local a ser definido.
O resultado ruim, que complicou a situação do time celeste na Primeira Liga, foi lamentado pelo atacante Rafael Silva, artilheiro da Raposa na partida com dois gols. “Não tem que achar culpado neste momento. Quem soube aproveitar as oportunidades ganhou o jogo”, resumiu o jogador.

 


Para o zagueiro Dedé, os dois gols do Fluminense em cobranças de pênalti dificultaram as ações do Cruzeiro no jogo. O primeiro lance gerou o empate dos cariocas, a bola bateu na mão do lateral-direito Fabiano dentro da área, enquanto o segundo garantiu a vitória do Tricolor. Sem lamentações, o defensor destacou que o time deve seguir trabalhando para corrigir as falhas. “Os dois pênaltis arrebentaram a gente. Agora é trabalhar. A gente sempre vem frisando isso, trabalhar, trabalhar e trabalhar... mas agora temos que acertar os pontos vulneráveis”, frisou.

 


Já o goleiro Fábio teve opinião diferente dos companheiros. O capitão celeste viu qualidades na equipe nesta quarta-feira e destacou o apoio do torcedor durante a partida. “Parabéns pela atitude do time. Parabéns ao torcedor também que não parou. Infelizmente, o resultado não veio. Mas o importante é a entrega que o time teve”, observou.
O camisa 1 ainda pediu desculpas à torcida por não ter segurado a bola no lance que resultou no segundo pênalti para o Fluminense. “Peço desculpa por não ter conseguido fazer a defesa total e o juiz viu pênalti”, lamentou.

 


Fábio, no entanto, condenou a marcação da arbitragem. No lance, o goleiro celeste rebateu um chute de fora da área e, na tentativa de fazer a defesa em definitivo, o derrubou Felipe Amorim, que foi para a bola para pegar o rebote. “O cara já tinha chutado a bola, que estava saindo lá no escanteio. Eu fechei para o chute dele. Depois não tem jeito, é a Lei da Física, como que eu vou parar”, reclamou.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.