terça-feira, 21 de Agosto de 2012 14:42h Gazeta do Oeste

Diretoria do Palmeiras se irrita com suspeita de corpo mole

Após a derrota para o Atlético-GO por 2 a 1, no domingo, a diretoria do Palmeiras resolveu agir e decidiu cobrar os jogadores que, entendem os dirigentes, não estão motivados como deveriam. Casos, por exemplo, do meia Daniel Carvalho e do atacante Maikon Leite.

 

Os dois jogadores serão chamados para uma reunião com representantes da diretoria para explicarem suas contusões. Reclamam que sentem dores na coxa esquerda, mas tanto membros da comissão técnica como dirigentes suspeitam que a dupla esteja fazendo "corpo mole''.

 

 

Isso porque os exames que são feitos nos atletas não apontam nenhuma lesão, mas Daniel Carvalho e Maikon Leite continuam reclamando de dores. Os médicos do clube ficam numa saia-justa, pois, sempre que são consultados por membros da comissão técnica, explicam que os atletas estão machucados, mas a única maneira de comprovação é a palavra do jogador.


A expectativa era que Daniel Carvalho e Maikon Leite estivessem em condições de jogar contra o Atlético-GO, mas no momento de montar a lista dos relacionados os dois alegaram dores e foram cortados.

 

O técnico Luiz Felipe Scolari está irritado com a situação, mas não pretende se envolver diretamente. Quem vai cuidar disso é a diretoria. "O momento não é para ficar fora só por causa de uma dorzinha. A situação já não está fácil e jogador pede para ficar fora por qualquer coisa? O Marcos Assunção e o Luan, por exemplo, jogaram se arrastando, só para tentar ajudar. Falta isso para outros atletas'', disse ao Estado pessoa ligada à diretoria, confirmando que os dois serão advertidos.


Recentemente, o pai e empresário de Daniel Carvalho, Albínio Carvalho, foi até a Academia de Futebol para cobrar o pagamento atrasado de comissão referente à transação do jogador. Foi justamente no período em que Daniel começou a se queixar de lombalgia. Mas, um dirigente ouvido pela reportagem garante que tudo foi acertado com o pai do atleta após a reclamação.

 

O meia dificilmente permanecerá no Palmeiras no ano que vem. Seu contrato de empréstimo vence no fim deste ano e até o momento a diretoria e Felipão não manifestaram interesse em continuar com o jogador. Quanto a Maikon Leite, ele perdeu muito espaço desde a chegada de Mazinho. Como têm características parecidas, o treinador tem optado mais pelo jogador que veio do Oeste.


Na segunda-feira da semana passada quem criou problemas foi João Vitor. O volante chegou ao treino com hálito de quem ingeriu bebida alcoólica e por isso foi dispensado do treino e multado em 20%. Embora o assunto tenha sido tratado internamente, o caso vazou para a imprensa e o próprio jogador admitiu o erro, prometendo que não se repetirá.

 

 

 

 

 

 

 

 

ESTADÃO

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.