sexta-feira, 15 de Julho de 2016 14:32h Luciano Eurides

Divinópolis é motivo de polêmica na Imef

As equipes de futebol de Divinópolis têm um passado e presente vitoriosos nas disputas promovidas pelo Instituto Mineiro de Escolas de Futebol (Imef), isso pesa muito dentro da nova forma de se dividir a entidade

POR LUCIANO EURIDES

luciano.eurides@gazetaoeste.com.br

 

Imef nasceu a partir da Aefemg, segundo Amarildo Borges, presidente da Imef, houve a necessidade dessa mudança para ampliar o atendimento às escolas de futebol. Vale ressaltar que muitas escolas não têm condições de entrar nas competições da Federação Mineira de Futebol (FMF), por vários motivos e quase todos ligados a condição financeira. A Imef consegue diminuir os gastos, ponderar nos investimentos, e ser uma competição grande, com a presença das escolas de base de América e Cruzeiro, às vezes do Atlético e seus parceiros.

 

A Imef agregava equipes de várias regiões de Minas Gerais, isso estava onerando a competição. Assim, dividiu-se em Imef Triângulo, em breve Sul de Minas e Zona da Mata. Falta a definição se haverá a divisão Centro-Oeste ou permanece vinculada à capital mineira. A decisão é polêmica. Pois estar junto das equipes da capital minimiza a condição de títulos, mas valoriza, e muito, a disputa. O presidente Amarildo Borges disse que Divinópolis é região metropolitana. “A intenção de se criar a Imef é para a organização do calendário e um formato para atender os garotos de março a dezembro, a cidade de Divinópolis foi a primeira do interior a participar da Imef, tem uma importância e um peso muito grande na competição. Entrou no calendário da cidade e vem sempre jogando um grande futebol, estamos criando as alternativas da regionalização, já vai acontecer o encontro dos campeões, de 19 a 21 de agosto. Divinópolis fica na nossa região (metropolitana) não vou deixar eles escaparem não, fica na nossa região mesmo”, afirmou.

 

 

Para o segundo semestre, é preparada a principal competição, sendo o Campeonato Mineiro Imef. Este ano com a possibilidade de haver um quadrangular final. Assim, há a chance de uma equipe ser campeã em casa e, por outro lado, evita de todas se deslocarem ao mesmo tempo para uma unidade esportiva. “Estamos sempre com as três equipes grandes da capital e, por isso, há essa visibilidade, esse é o diferencial da Imef. O Campeonato Mineiro das Escolas de Futebol está com a tendência de ter o dobro de participantes”, previu.

 

O presidente do Flamengo, Gilberto Ferreira, está divido também. Entende a necessidade de medir forças com a capital, mas sabendo que as viagens deixam o futebol de base cada vez mais caro. “O Flamengo tem hoje a escolinha de futebol e dentro dela uma parceria com a UEMG e, assim, atendemos a todas as crianças, de todas as idades, nas manhãs de sábado é feita a avaliação e destinado às equipes competitivas. Entre as competições, a Imef. A ideia do Flamengo é ter uma competição Centro-Oeste, seria uma valorização sim. Enfrentar o Cruzeiro e América é muito bom e sinal de um trabalho bem feito. Um privilégio estar entre os grandes, mas temos de fazer também crescer o Centro-Oeste. Estamos nos organizando e antecipando sempre para a disputa da Imef. Cada ano mais forte”, comentou.

 

O presidente do Flamengo pensa em uma competição forte no Centro-Oeste, especialmente no primeiro semestre, onde as equipes possam medir forças, corrigir erros e até mesmo se reforçarem e buscarem somar qualidades e então encarar as demais regiões do estado. Soma e visibilidade, especialmente com algumas cidades próximas e às vezes fica a parte do futebol divinopolitano como Arcos e Lagoa da Prata.

 

Há polêmica também para outras cidades do Centro-Oeste, a cidade de Pará de Minas recentemente provou, via Paraense, estar pronta para encarar os desafios. Nova Serrana da mesma forma. Essas cidades, ao lado de Claudio, Santo Antônio do Monte, Arcos, Lagoa da Prata, etc. poderiam sim criar um excelente núcleo. Mas vale ressaltar que o valor cobrado pelas empresas de ônibus em frete para a capital, em comparação a algumas cidades vizinhas, não mudaria sensivelmente a vida financeira das principais equipes de base da cidade de Divinópolis.

 

Os campeões de cada região se encaram em uma competição à parte.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.