quarta-feira, 10 de Agosto de 2011 10:31h Luciano Eurides

Divinópolis volta a ser cogitada como subsede da Copa do Mundo

A cidade de Divinópolis foi visitada na tarde de ontem por Ludimila Kai, da secretaria de estado extraordinária da Copa do Mundo. Ele visitou três pontos específicos de exigência da Fifa. Hotel, aeroporto e estádio são essenciais na manutenção do sonho de receber uma seleção em 2014.


O empenho para a cidade receber alguma seleção no mundial de 2014 deverá ser maior do que se esperava. O aeroporto da cidade tem de receber novos investimentos e ser capaz de operar aeronaves para 120 passageiros. O hotel JB Palace, melhorias. O estádio Waldemar Teixeira de Faria, um projeto de ampliação. Essa é a avaliação da secretaria de estado. Ludimula Kai visitou os três pontos cruciais e limitou a considerar a visita ‘bacana’. “A cidade de Divinópolis se candidatou a ser um centro de treinamento de seleções. No início desse ano infelizmente ela não passou na primeira triagem da Fifa e hoje ela reabre esse processo e venho conhecer as estruturas oferecidas e as novas propostas de inclusão nessa segunda candidatura. Eu fui ao hotel JB e foi apresentado um projeto de melhoria e acredito ser possível recandidatar. Fui no aeroporto onde existe uma iniciativa do governo do estado em fazer um estudo de viabilização e assim atender os serviços da Fifa e no estádio, está bacana, não é uma visita técnica apenas conhecer as estruturas oferecidas”, esclareceu.


O superintendente da Usina de Projetos da prefeitura municipal de Divinópolis, Lúcio Espíndola considerou válida a iniciativa mesmo diante da tamanha dificuldade. “É um processo seletivo difícil e estamos concorrendo com cidades de melhor estrutura. É um evento privado, a Fifa quem seleciona. Iremos melhorar nossa candidatura, em especial temos um projeto em andamento aqui no Guarani, isso irá ampliar a capacidade para dez mil pessoas e deixaria bastante adequado para a finalidade, isso na infraestrutura esportiva. A hotelaria é essencial e hoje não temos um hotel preparado para esse tipo de situação, percebemos uma boa vontade do JB e vão fazer uma ampliação já projetada. A ampliação do aeroporto é uma qustão que o estado está cuidando. A iniciativa privada é que pode fazer a coisa acontecer”, declarou o superintendente.
 

Outras cidades como Patos de Minas, Montes Claros e Caxambu também foram visitadas e Divinópolis tem como vantagem a proximidade com a capital mineira como bem lembrou Lúcio Espíndola. “Ainda assim temos de passar pelo crivo da Fifa e das seleções que tem o direito de escolher onde querem ficar. O mais positivo é a proximidade com Belo Horizonte e as vias de acesso. O tamanho da cidade e o potencial dela pode qualificá-la”, avaliou.
 

Um dos problemas apresentados é a visibilidade do Waldemar Teixeira de Faria. Certamente não causou boa impressão ver o morro logo de primeira vista. O presidente Edilson de Oliveira explicou a Ludimila Kai que um novo projeto, onde se pensa em fazer arquibancadas com cadeiras no lado onde está o Morro da Pitimba, as cabines e camarotes do lado contrário de onde estão hoje as cabines de rádio e televisão e ainda no espaço das antigas arquibancadas novos vestiários. A representante do governo do estado deverá receber esse novo projeto até o final desse mês.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.