sábado, 20 de Setembro de 2014 07:24h

Domingo é dia de clássico mineiro no Brasileirão

Cruzeirenses e atleticanos têm bons motivos para acreditar numa vitória naquele que promete ser um dos mais eletrizantes clássicos da temporada, neste domingo, no Mineirão, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Por um lado, o time celeste tem tido um desempenho praticamente irretocável contra o arquirrival desde a reabertura do Gigante da Pampulha, em fevereiro de 2013. Nos quatro clássicos disputados no estádio, foram três vitórias da Raposa e apenas um empate.
Foram dois triunfos pelo Campeonato Mineiro do ano passado, ambos por 2 a 1, um pelo Brasileirão de 2013, por 4 a 1, além de um empate por 0 a 0 no Estadual deste ano, placar suficiente para que o Cruzeiro se sagrasse campeão de maneira invicta.
O problema para os comandados de Marcelo Oliveira é que o Atlético também vem regulando nos clássicos e já acumula uma série invicta de cinco partidas contra o melhor time brasileiro da atualidade.
O último revés alvinegro aconteceu no Brasileiro do ano passado, apenas três dias após o épico título da Libertadores da América. Naquela oportunidade, o então técnico, Cuca, mandou a campo um time reserva e o Cruzeiro não teve qualquer dificuldade para golear por 4 a 1.
Depois disso, os maiores de Minas se encontraram mais cinco vezes, com duas vitórias do Galo – 1 a 0 e 2 a 1, pelo Campeonato Brasileiro – e três empates, todos por 0 a 0, pelo Mineiro de 2014. Vale ressaltar, no entanto, que destes cinco duelos, quatro deles aconteceram no Independência, onde o Atlético tem um desempenho impressionante.

Atlético
O clássico contra o Cruzeiro, neste domingo, no Mineirão, começou para o Atlético antes mesmo da vitória dessa quinta-feira, por 3 a 2, sobre o Goiás, no Serra Dourada. O zagueiro, Leonardo Silva, e os atacantes, Luan e Tardelli, foram poupados do confronto em Goiânia visando, sobretudo, a partida contra o rival. Após o triunfo sobre o esmeraldino, o técnico, Levir Culpi, que já viveu o clássico, pelos dois lados, falou sobre o confronto. “Vou sentir saudade dessa adrenalina mais tarde. Acho que (o clássico) é o melhor momento que existe... Entrar no Mineirão cheio, procurar fazer um grande jogo e sair de campo muito feliz”, disse o treinador.
Além de poder contar com os três jogadores poupados, Levir Cupi terá o retorno do lateral-direito, Marcos Rocha, que cumpriu suspensão automática. Por outro lado, o volante, Claudinei, o zagueiro, Jermerson, e o centroavante, Jô, deixaram a partida contra o Goiás com dores e serão reavaliados. Levir Culpi não revela como vai armar a equipe, mas admite não ter muito o que esconder. “Eu sou um cara misterioso, principalmente nessa hora. Mas, na verdade, quem analisa nosso time, pode perceber que não há muitas situações para definir. Nós temos uma base que deve ser repetida, assim como o Cruzeiro. Vamos ver o que vai acontecer”, afirma Levir.
Ainda com relação ao clássico, Levir reclamou da tabela. No entendimento dele, o fato do Atlético ter jogado na quinta e o Cruzeiro na quarta (venceu o Atlético-PR por 2 a 1) pode fazer diferença.  “Não entendo muito porque o Atlético sempre joga quinta e domingo. E agora com um clássico pela frente, sendo que o Cruzeiro jogou na quarta. Um dia de recuperação representa muito, por isso tivemos que fazer algo para controlar os jogadores desgastados com as armas que temos. Mas no domingo vamos chegar bem, muito motivados e vamos fazer um bom jogo”, disse.

 

 

 

 

Cruzeiro
O meia, Júlio Baptista, é a mais nova baixa no Cruzeiro para as próximas partidas. Substituído no intervalo da partida contra o Atlético-PR, o jogador passou por exames nesta quinta-feira que confirmaram a lesão na parte posterior da coxa esquerda.
Como já é de praxe, o clube não informa o tempo de recuperação, mas Júlio Baptista deve desfalcar o Cruzeiro no clássico contra o Atlético, neste domingo, no Mineirão, e nos próximos compromissos da equipe.
Júlio Baptista começou a partida contra o Furacão como titular em substituição a Ricardo Goulart, que estava suspenso pelo terceiro cartão amarelo. No entanto, o armador precisou sair no intervalo do jogo por causa de um desconforto muscular na coxa. Para o clássico, o setor ofensivo do Cruzeiro será reforçado por Goulart e contará com força máxima com Everton Ribeiro, Alisson e Marcelo Moreno.
Além de Júlio Baptista, estão no departamento médico do Cruzeiro, o lateral-esquerdo, Samudio, o volante, Tinga, e o goleiro, Alan.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.