sexta-feira, 29 de Julho de 2016 11:56h

Douglas Santos conta o sonho de criança com o Maracanã

Falar sobre representatividade do Maracanã para o universo do futebol é um dos maiores clichês da área, mas é impossível deixar de lado a mística do Maior do Mundo

Qual fã de futebol nunca sonhou bater bola no gramado do Maraca? A fantasia de um destes meninos virou realidade. Hoje lateral-esquerdo da Seleção Olímpica, Douglas Santos pode atuar no estádio caso o time avance à semifinal no primeiro lugar de seu grupo e na grande final dos Jogos Rio 2016.

 

 

Em conversa com o site da CBF para a Série Papo Olímpico, Douglas Santos revelou que, por assistir muitos jogos no Maracanã durante a infância, criou este grande desejo de atuar no estádio, sonha entrar para a história do Maraca com a inédita medalha de ouro olímpica e promete muito empenho quando a bola rolar. “Quando eu era pequeno, tinha o sonho de jogar no Maracanã. Assistia muitos jogos do Flamengo e, desde aquele momento, sempre pensei nisso. Meu pai também sempre falou: – Ainda vou lhe ver jogando no Maracanã! Sabendo que a final será no Maracanã, quero estar lá junto com toda a equipe, com o mundo, com o Brasil. Creio que chegaremos na final para buscar o ouro olímpico”, destaca.

 

 

Apesar de hoje ter a possibilidade de conquistar esse sonho, as coisas nem sempre foram fáceis para Douglas Santos. O lateral lembra das dificuldades até conseguir a aprovação em uma peneira no Náutico e, com este mesmo orgulho das recordações, quer escrever um capítulo dourado em sua história. “Meu começo foi um pouco tarde. Fiz vários testes. Comecei em 2007, passei por Corinthians, Internacional, Grêmio, Criciúma... E já em 2011 fiz um teste no Náutico. Chegando lá, tinha quase 200 meninos e vi que era mais um peneirão do que um teste. Mas eu consegui me sobressair naqueles 200 e, em cinco meses, já era profissional. Foi uma trajetória rápida, mas demorou muito para chegar. Hoje estou aqui contando a minha história e quero entrar para a história com esse ouro olímpico que, se Deus quiser, vamos conquistar”, acrescenta.

 

 

Por tudo o que representa, Douglas Santos, para controlar o nervosismo, optou por não acompanhar a transmissão ao vivo da lista do técnico Rogério Micale. O lateral conta que recebeu a notícia da família com muita alegria e revela que, na carreira como jogador, realiza também o um sonho de seu pai. “Eu não queria ver a convocação porque fico ansioso. Meus pais que me deram a notícia e nada melhor que a família dar uma notícia tão boa assim. Eu sonhava com isso, são três anos já junto com a Seleção buscando esse espaço e, graças a Deus, ele me deu essa oportunidade. Hoje, meu pai conversa muito comigo, ele tinha o sonho de ser jogador também e quer viver isso comigo. Ele é um paizão mesmo, só quer o meu bem, sempre me dá apoio e uma força para eu melhorar sempre”, revela.

 

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.