quinta-feira, 28 de Março de 2013 08:51h Gazeta do Oeste

Elber vive o melhor momento da carreira

No confronto contra a Caldense, pela 7ª rodada do Estadual, vencido pelo Cruzeiro por 2 a 1, Elber justificou mais uma vez a confiança depositada por Oliveira em seu futebol.

Promovido aos profissionais em 2011, o armador Elber vive o seu melhor momento desde que acendeu à equipe de cima da Raposa. Com o técnico Marcelo Oliveira, o jogador se tornou uma importante arma para o segundo tempo das partidas, sendo decisivo nos jogos que tem entrado.


No confronto contra a Caldense, pela 7ª rodada do Estadual, vencido pelo Cruzeiro por 2 a 1, Elber justificou mais uma vez a confiança depositada por Oliveira em seu futebol. Substituindo Diego Souza aos  11 minutos da etapa complementar, o meia deu o passe para o gol de cabeça de Ricardo Goulart. Cada vez mais confiante, o atleta já se sente uma parte importante do plantel celeste para temporada. “Hoje eu me sinto esse jogador que pode entrar em campo e decidir uma partida. Os jogos estão sendo muito difíceis e aí o professor acaba recorrendo ao banco de reservas, como aconteceu no último jogo. Na hora que eu entrei, eu procurei ajudar o Cruzeiro e graças a Deus eu consegui”, ressaltou.


Para sair do banco e mudar o rumo dos jogos, Elber revela que procura sempre observar atentamente a partida, para que ao entrar em campo, possa utilizar o máximo possível a sua principal virtude: a velocidade. “O último jogo estava muito difícil e eu vendo o jogo percebi que um jogador rápido poderia fazer alguma coisa diferente. Então, quando o Marcelo me colocou, eu, antes de tudo, já pensava no que eu deveria fazer em campo: partir ‘pra cima’, fazer tabela e chutar em gol. Fico feliz de ter entrado bem e ter dado o passe para o Ricardo (Goulart) fazer o gol”, disse.


Mas se muitos pensam que o camisa 27 vai se contentar com a fama de jogador de segundo tempo, o jogador cruzeirense deixa claro que seu objetivo é ocupar a vaga de titular no escrete cinco estrelas. “Eu não quero permanecer apenas como talismã da equipe, eu quero virar realidade. Estou pronto para brigar pela titularidade, mas isso eu vou deixar para o treinador decidir. Se ele decidir por me escalar vou fazer de tudo para agarrar a oportunidade com unhas e dentes”, afirmou o jovem meia.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.