sábado, 26 de Abril de 2014 07:08h

Eleições na FMF viram caso de polícia

O processo democrático que elegerá o novo presidente da Federação Mineira de Futebol (FMF), entidade maior do esporte no Estado, virou caso de polícia na tarde desta quinta-feira, dia da inscrição oficial das chapas que irão concorrer ao cargo.

Representantes dos candidatos Castellar Modesto Guimarães Neto, apoiado pelo Atlético, e de Paulo César Freitas, apoiado pelo Cruzeiro, acabaram se desentendendo no momento de protocolar as duas candidaturas e a Polícia Militar precisou ser acionada para impedir que algo mais grave acontecesse. As inscrições foram feitas ao mesmo tempo, o que acabou gerando toda a confusão.
A eleição para a escolha do novo mandatário da Federação Mineira de Futebol está marcada e confirmada para o dia 29 de maio. Para ser validada, cada chapa deverá ter, obrigatoriamente, quatro assinaturas de clubes que disputam a elite do Campeonato Mineiro, três assinaturas de clubes do Módulo II e mais cinco assinaturas de ligas municipais. Após a inscrição, realizada nesta quinta-feira, os interventores da FMF, Fernando Aurélio Machado Costa e Sarah Santos Barbosa, terão cinco dias úteis para aprovar as candidaturas.
A eleição vai definir os cargos de presidente, vice-presidente e membro do Conselho Fiscal da entidade, num mandato de quatro anos. O novo dirigente da FMF vai assumir a vaga deixada por Paulo Schettino, que foi afastado do cargo por determinação da justiça. O ex-presidente da FMF foi acusado de tentar mudar o estatuto da entidade para tentar prorrogar o seu mandato até o fim do ano de 2014.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.