quinta-feira, 6 de Setembro de 2012 08:33h Gazeta do Oeste

Em noite de Seedorf, Cruzeiro é derrotado pelo Botafogo e cai na tabela

Na próxima rodada, o Cruzeiro tentará se reabilitar fora de casa. No domingo, às 18h30, o time celeste enfrentará o Sport, no Recife. Já o Botafogo receberá o Náutico, às 16h.

Depois de triunfos sobre Atlético-GO e Náutico, o Cruzeiro contava com o apoio de seu torcedor para ampliar a série de vitórias no Campeonato Brasileiro. Porém, uma noite inspirada de Seedorf evitou que a equipe comandada por Celso Roth atingisse seu objetivo. Comandado pelo meia holandês, o Botafogo venceu por 3 a 1, de virada, no Independência.

 

Tinga, no seu primeiro gol com a camisa celeste, abriu o placar para o Cruzeiro. Ainda no primeiro tempo, Seedorf balançou as redes duas vezes e encaminhou a virada botafoguense. Na etapa final, após jogada do craque holandês, Jadson deu números finais ao placar.

 

 

A derrota fez com que o Cruzeiro caísse duas posições, ficando em oitavo. O time celeste foi ultrapassado pelo próprio Botafogo e também pelo Internacional, que empatou com o São Paulo, no Morumbi.

 

Ainda com 34 pontos, o time celeste viu a distância para o G-4 aumentar em um ponto, já que o Vasco, quarto colocado, empatou com o Náutico, por 1 a 1, no estádio dos Aflitos.

 

 

Na próxima rodada, o Cruzeiro tentará se reabilitar fora de casa. No domingo, às 18h30, o time celeste enfrentará o Sport, no Recife. Já o Botafogo receberá o Náutico, às 16h.

 


Seedorf comanda virada botafoguense

 

 

Apesar de um ritmo forte das duas equipes, as chances claras de gol demoraram para aparecer. Aos 19 minutos, Souza fez lançamento preciso para Borges. O camisa 9 finalizou e Renan rebateu. Na sobra, Tinga chutou de primeira para abrir o placar para o Cruzeiro: 1 a 0.

 

Quatro minutos depois, o time celeste esteve perto de ampliar. Em contra-ataque rápido, Souza passou para Everton, que driblou Fábio Ferreira com facilidade, entrou na área e chutou forte. A bola saiu rente à trave esquerda de Renan.

 

 

Embora demonstrasse controle da partida, o Cruzeiro cedeu às investidas do Botafogo aos 34 minutos. Fellype Gabriel cruzou para a a área, Seedorf entrou por trás da marcação de Leandro Guerreiro e bateu sem deixar a bola tocar o chão: 1 a 1.

 

Logo no minuto seguinte, Seedorf mostrou novamente porque é conhecido por sua qualidade técnica. Após bola lançada para a área, Fellype Gabriel ajeitou para trás e o holandês chutou firme no canto direito de Fábio: 2 a 1.

 

 

Os minutos finais do primeiro tempo foram marcados por disputas acirradas. Em uma delas, Márcio Azevedo acertou o rosto de Souza com a sola da chuteira, mas o árbitro Luiz Flávio de Oliveira entendeu que foi um lance normal de jogo e nada marcou.

 


Cruzeiro sem reação

 

 

Em desvantagem no placar, o técnico Celso Roth recorreu ao banco de reservas e promoveu duas alterações para o segundo tempo. Sandro Silva e Wallyson deixaram a partida, para as entradas de Élber e Wellington Paulista. Pelo lado do Botafogo, Fellype Gabriel, contundido, foi substituído por Willian.

 

Apesar das mudanças dos dois times, uma coisa não mudou na etapa final: Seedorf seguiu sendo decisivo. Aos 10 minutos, o holandês deixou Leandro Guerreiro para trás no meio-campo e cruzou para Jadson. O volante driblou Fábio e empurrou para as redes: 3 a 1.

 

 

Logo depois de o Botafogo aumentar a vantagem, Roth modificou novamente a equipe. O volante Willian Magrão foi acionado para substituir o meia Souza.

 

As mudanças de Roh demoraram a surtir efeito. O Cruzeiro conseguiu ameaçar o Botafogo apenas aos 25 minutos. Wellington Paulista recebeu sozinho dentro da área, tocou para o lado e Everton chutou rasteiro para ótima defesa de Renan.

 

 

Até o fim de jogo, o Cruzeiro não conseguiu reagir. Uma finalização de Leo à direita de Renan foi uma rara oportunidade de gol para a Raposa.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

SUPERESPORTES

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.