terça-feira, 10 de Abril de 2012 13:34h Luciano Eurides

Empate justo do clássico mineiro

Atlético e Cruzeiro empataram em 2 a 2 neste que foi o último clássico na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. O empate culminou na manutenção das duas equipes nas primeiras colocações do Campeonato Mineiro. Depois desse jogo, clássico agora apenas numa eventual final e já no Estádio Independência. O Galo marcou duas vezes no primeiro tempo, com Danilinho e André, mas o Cruzeiro reagiu na segunda etapa e empatou com dois gols de Anselmo Ramon. Na última rodada, que vai definir quem termina em primeiro, o líder Atlético visita o Tupi em Juiz de Fora e o Cruzeiro enfrenta o Uberaba na Arena do Calçado, em Nova Serrana. Os dois jogos serão domingo, às 16h.
Superioridade atleticana nos dois tempos. Essa foi a avaliação do técnico Cuca. “Um primeiro tempo muito bem jogado, fizemos dois gols e perdemos outras oportunidades. E o segundo tempo também foi mais bem jogado pelo Atlético. Tivemos chances para matar o jogo, bola na trave. Pelo que jogamos, deveríamos vencer, mas pecamos em não matar o jogo”, comentou o treinador. “De toda forma, continuamos na liderança e com três pontos na frente, faltando uma rodada para o final”, acrescentou.
O técnico Vágner Mancini concedeu entrevista coletiva no vestiário do estádio. O treinador lamentou a atuação ruim da Raposa na primeira etapa, quando levou 2 a 0, mas, por outro lado, ressaltou a reação cruzeirense na segunda metade do clássico e a busca pelo empate. “Acabou sendo justo o 2 a 2, em função daquilo que o Atlético fez no primeiro tempo e o que fizemos no segundo. Nós poderíamos até ter levado a vitória, mas acho que foi justo o resultado, um tempo de cada equipe. A nossa equipe foi muito abaixo no primeiro tempo, perdeu muito a bola, errou muito passe, com certo nervosismo. Mas essa reação dentro do jogo me deixa muito satisfeito, porque nós vamos encontrar outros jogos desse porte, não só nas finais do Campeonato Mineiro, mas na sequência do ano”.
Pelo que foi o jogo, ter saído de um placar adverso de 2 a 0 para buscar o empate, Mancini ficou satisfeito com esse poder de reação da equipe do Cruzeiro. “A gente teve uma superação, não só pelo que foi o jogo, mas a equipe teve o emocional muito equilibrado para buscar o primeiro gol. A gente perdeu um gol incrível com ainda 2 a 0. Tivemos força para chegar ao empate e ter ainda mais força física dentro do campo. A gente fica feliz com isso, porque é fundamental que a equipe mostre força nos momentos decisivos. Hoje, o Cruzeiro acabou demonstrando que está apto a sonhar muito ainda, porque dá para a gente ganhar o título, respeitando o Atlético. Mas eu sou mais o Cruzeiro”.

Polêmica
O atacante cruzeirense Walter, que entrou no segundo tempo do clássico criou grande polêmica ao afirmar após a partida que a Raposa foi melhor que o rival na etapa complementar, pois quando o Cruzeiro exerceu pressão, os jogadores do Atlético ‘pipocaram’. “O segundo tempo foi bem melhor. Nós vimos que o time deles tem medo de nós. Foi só dar uma pressãozinha que eles pipocaram. Para eles, isso foi uma vitória, mas, para nós, foi uma derrota”’, disse Walter.
O presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, não perdeu tempo, e logo depois de tomar conhecimento das declarações do atacante cruzeirense Walter, que afirmou que o Galo ‘pipocou’ para a Raposa no clássico, o dirigente alvinegro deu a resposta. Kalil rebateu as afirmações do jogador celeste criticando a forma física do atacante, chamando o atleta de “aberração”. “Esse rapaz joga de que? É um gordinho? Ele desmoraliza o preparador do Cruzeiro. Eu o vi em campo, ele é uma aberração. Vamos falar de Wellington Paulista e Anselmo Ramon. Falar de Walter? Ele está é desmoralizando a nutricionista e o preparador físico do Cruzeiro”, disparou Kalil. Questionado sobre o resultado do clássico, Alexandre Kalil, afirmou que não ficou satisfeito. “Não saímos satisfeitos, tínhamos o jogo na mão, mas o que vamos fazer? Estamos numa competição. Se avaliar friamente o resultado, não foi desastre. Jogamos pela liderança e pela vantagem. Estamos jogando pela vantagem no Mineiro. Tem que ganhar do Tupi lá e jogar pela vantagem, coisa que a gente não fazia há muito tempo”, declarou.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.