quarta-feira, 2 de Março de 2011 00:00h

Encontro reúne empresários para discutir negocios da Copa do Mundo Fifa 2014

Dirigentes de empresas de setores como infraestrutura, comunicação, mineração e serviço participaram de encontro, em Belo Horizonte, para discutir as oportunidades de negócios que a Copa do Mundo poderá proporcionar aos mineiros e as formas de comercialização desse importante momento do esporte mundial.

Durante o evento, que foi realizado na noite dessa segunda-feira (28), na sede do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), o secretário Extraordinário da Copa do Mundo, Sérgio Barroso, se pronunciou a uma plateia de 43 empresários locais.

“Eu sei que Copa é paixão. Eu também adoro futebol, mas como secretário devo enxergar a Copa como negócio, como foi em todos os países onde a Copa foi realizada até hoje, inclusive aqui no Brasil, nos anos 50”, disse.

O evento, organizado pelo Governo de Minas e pela Prefeitura de Belo Horizonte, contou com a presença do presidente do Comitê Executivo de BH da Copa do Mundo de 2014, Thiago Lacerda. “São muitas oportunidade de fornecimento de material, mão de obra, estruturas temporárias, serviços e é nisso que queremos que vocês participem”, destacou Lacerda.

No encontro, um representante da Match Event Services fez uma palestra para esclarecer aos empresários como se dá, comercialmente, o relacionamento dos empresários locais com a Fifa. Ele explicou que serão necessários fornecedores, por exemplo, de talheres, mobiliário, água, energia elétrica, portanto, essas seriam oportunidades de negócios.

O desafio foi bem recebido pelos empresários mineiros. “Como bom mineiro, sei o quanto Minas tem potencial e capacidade de alavancar negócios e ser o carro-chefe do Brasil. Belo Horizonte será modelo de sede da Copa a ser seguido. Aliás, já está sendo”, afirmou o presidente do consórcio Minas Arena S.A., Ricardo Barra.

Apoio de empresários

“Acho que o empresariado tem que fazer a parte dele também. É uma oportunidade única para Minas Gerais. Mineiro não perde o trem e não pode perder também esse bonde da história.

Nós somos uma mineradora de ouro, por isso espero que as equipes vencedoras possam usar o ouro da Anglo Gold nas suas medalhas. Para nós, é muito interessante estar junto não só dos participantes, mas dos vencedores”, disse o diretor presidente da AngloGold Aschanti, Hélcio Guerra.

O membro do Conselho de Administração do grupo Asamar e presidente do Conselho da Ale Combustíveis, Sérgio Cavalieri, prometeu largar na frente. “A criação de uma secretaria dedicada a este tema foi uma demonstração clara da importância que o Governo de Minas Gerais está dando a questão da Copa do Mundo, e isso, a meu ver, é muito adequado porque é o maior evento esportivo do mundo.

Eu diria que quem tiver capacidade de abraçar em primeiro lugar essa oportunidade terá bons resultados. Nós temos a vantagem de ser mineiro. Outros empresários de fora tentarão abocanhar a sua parte. Mas tenho certeza, como diz o ditado, quem sai na frente bebe água limpa, nós beberemos água limpa”.

É bom se apressar porque a Fiat já está com evento na agenda. Segundo o diretor de Assuntos Coorporativos da Fiat do Brasil, José Eduardo de Lima, Pereira, a Casa Fiat de Cultura vai fazer uma exposição sobre todos os países participantes da Copa em Belo Horizonte.

“Eu acredito que Minas Gerais seja o Estado que está se preparando com a maior rapidez e com a maior eficiência. O empresário que não enxergar oportunidades nesse momento, realmente está dessintonizado do seu tempo.

A Fiat está se preparando não só para dar apoio na organização dos eventos como para realizar eventos simultâneos que correspondam a nossa necessidade de sempre aprimorar nossa imagem”, completou.

Fonte : Agencia Minas
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.