quarta-feira, 18 de Julho de 2012 15:16h Luciano Eurides

EOC é o campeão do Regional de Natação

O Campeonato Regional de Natação, realizado na piscina do Estrela do Oeste Clube (EOC), corou o árduo trabalho dos atletas e treinadores durante todo o primeiro semestre. Depois de bons resultados e experiências no estadual, uma atuação impecável dos novos nomes do esporte na cidade. Na soma geral dos pontos EOC foi o campeão com 3200, em segundo Centro Esportivo Olímpico/Divinópolis Tênis Clube com 2097 pontos, Lavras Tênis Clube (LTC) em terceiro com 1383, Centro Esportivo Padre Luis Tukemburg (Cepelt) somou 682, Divinópolis Clube fez 300 pontos e Naduarte Academia 108.

 


As provas se iniciaram na sexta-feira, e as mulheres tomaram conta do espaço. Letícia Silva Ferreira (CEO/DTC) abriu caminho para uma sequencia de quebra de recordes. Nos 400m livre juvenil 1, ela conseguiu um melhor tempo que Lina Reis Barbosa em 25 de junho de 2004, a nadadora estrelina, inesquecível pelos bons resultados, havia nadado em 5min18s62, já Letícia fez em 5min03s38. Na mesma noite, o atleta convidado Eduardo de Morais, do Gota, fez o melhor tempo nos 400m petiz 1, com 5min41s14, contra os 6min14s66 de Matheus Henrique Silva, da Passense. Para estabelecer um novo tempo na disputa dos 400m livre junior 2, esteve na água Renato Assunção Guimarães (EOC), ele fez em 5min07s88.

 

COMPETIÇÃO ACIRRADA NO SÁBADO

 

No sábado, a intensidade da competição foi ainda maior. Aos poucos a história se renderia ao talento. Logo na parte da manhã, Camila Mata Mesquita, do CEO/DTC quebrou o recorde da colega de equipe, Bárbara Franco Camargos, nos 50m livre juvenil1, estabelecido em 16 de julho do ano passado em 29s29, Camila estabeleceu a nova marca em 29s06, nenhuma novidade, pois no mineiro ela nadou em 28s77. Bárbara, que é campeã dos 50m livre e nova recordista da prova no juvenil 2. O recorde era de Lina Reis Barbosa desde 25 de junho de 2005, em 29s21, hoje Bárbara estabelece 28s91 e saiu chateada, pois no mineiro ela nadou em 28s14. As mulheres não poderiam vencer tudo, então Luiz Henrique Araújo, do EOC, nos 50m livre fez a quebra do recorde nos 50m livre infantil 1, nadou a prova em 27s95 quando em 16 de junho de 2007, o melhor tempo foi de Marcos Vale Filho do LTC/Unilavras. O EOC em casa colocou na piscina Pedro Rodrigues Greco, nos 50m livre juvenil 2, ele estabeleceu o novo recorde da prova, então de  Marcos Vale Filho do LTC/Unilavras, em 25s96. Greco impôs a marca de 25s91, também sem surpresa, pois ele nadou em 25s85 no estadual. Ainda houve tempo para Igor Dias Ferreira estabelecer o recorde nos 50m livre junior 2, com 26s52.

 


A parte da manhã teve a volta das nadadoras cheias de charme e superação. Letícia Silva Ferreira na prova dos 100m costas juvenil 1, nadou em Belo Horizonte em 1min12s51, o recorde do campeonato regional era de 1min13s66 estabelecido por Lina Reis Barbosa em 26 de junho de 2004, eis que Letícia fez um tempo recordista regional e até mesmo melhor que o dela no mineiro, terminou com 1min11s36, que renderia a ela o segundo lugar no mineiro (ela foi terceira). A campeã mineira é do Fiat/Minas com 1min10s92. A colega de equipe no CEO/DTC, Bárbara Franco Camargo ainda quebrou o recorde nos 100m costas juvenil 2, o recorde anterior de Isabela Chiarini Silva era 1min17s07, Bárbara estabeleceu 1min15s20, e ficou chateada, pois ela que nadou o mineiro em 1min11s83. O atleta convidado Eduardo de Moraes, nos 100m costas Petiz 1, fez em 1min23s97, o recorde de Paulo Henrique do Gammon era de 1min27s13. Ele não atrapalhou o reinado feminino, Thatiana Isabelle Oliveira, nos 200m medley juvenil 1, quebrou um recorde que há 12 anos esperava para ser superado. Ela fez a prova em 2min47s69, enquanto e, 11 de junho de 2000, Lina Reis Barbosa tinha a marca dos 2min48s80. Para a história também, Igor Dias Ferreira (EOC) estabeleceu a nova marca para os 200m medley em 2min44s37. 

 

No período da tarde a expectativa era para o revezamento, mas como as meninas não estavam para brincadeira, logo Camila Mata Mesquita (CEO/DTC) quebrou o recorde nos 100m livre juvenil I, com o tempo de 1min04s83. O parâmetro anterior era de Anna Martha Carvalho com 1min06s47, novamente sem susto, pois ela nadou 1min05s41 no estadual. Mesmo caso de Bárbara Franco Camargo (CEO/DTC), ela quebrou o recorde de até então Thaís Fagundes Matioli, em 17 de junho de 2007, com 1min07s87.

 

Bárbara nadou em 1min03s45, mas no mineiro fez em 1min02s95.
O garoto convidado do Gota de Belo Horizonte foi para a terceira grande conquista, Eduardo Moares baixou quase oito segundos do então recorde dos 100m livre petiz I. Alexandre Lima Diniz havia feito a marca dos 1min19s21 em 2004, Eduardo fez em 1min11s59. Como ele abriu caminho, Luiz Henrique Araújo, do EOC, quebrou o segundo recorde dele na competição, dessa vez nos 100m livre infantil 1, ele nadou em 1min03s52, o recorde era de Daniel Lauro Silva de 12 de junho de 2010. Igor Euflauzino, do CEO/DTC quebrou o recorde nos 100m livre infantil 2, estabeleceu 58s74, contra 1min0046 de Francisco Albert Scott do LTC/Unilavras em 5 de julho de 2003. Renato Assunção Guimarães estabeleceu o recorde nos 100m livre junior 2, com 1min00s77.

 

Ainda Thatiana Isabelle Oliveira (CEO/DTC) quebrou o recorde nos 100m peito juvenil 1, com o tempo de 1min23s22, contra 1min25s54 de Letícia Silva Alondo do LTC/Unilavras em 2007. Igor Dias Ferreira estabeleci o recorde nos 100m peito junior 2, 1min15s24. Eduardo Moraes do Gota, aparece novamente, dez segundos a menos que o recorde nos 100m borboleta, ele fez em 1min23s91 e o recorde era de 1min33s20.

 

As meninas do CEO/ DTC não poderiam deixar de quebrar um recorde todas juntas e foi no revezamento 4x50m medley com o tempo de 2min12s23. O recorde era do EOC com 2min20s93.
Nessa mesma competição, ano passado foram estabelecidos apenas oito novos recordes. Vale a pena pensar se essa evolução em apenas um ano de trabalho pode ser perdida caso não haja renovação.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.