sexta-feira, 27 de Janeiro de 2012 19:10h Atualizado em 28 de Janeiro de 2012 às 08:53h. Luciano Eurides

Estádio Waldemar Teixeira de Faria

Municipalização para findar problemas históricos do Guarani

Pouca capacidade, instalações antigas e desconfortáveis, banheiros e bares mal localizados, inundações, estacionamento precário entre outras mazelas do Waldemar Teixeira de Faria podem ser solucionadas com a municipalização do estádio.  O prefeito de Divinópolis Vladimir Azevedo reuniu a imprensa na manhã de ontem para a apresentar o anteprojeto do que poderá ser o novo campo do Guarani. Seria a construção de dois novos módulos e a colocação de novas instalações para a imprensa. Para isso se tornar possível, o primeiro passo é a municipalização do estádio.
Vladimir Azevedo, depois de ver como ficará o estádio concluído falou da vontade de fazer a obra, mas a decisão está com o conselho deliberativo do Guarani.  “Depois de análise jurídica e ambiental, vimos a possibilidade de aproveitamento do estádio Waldemar Teixeira de Faria, a área já construída e apresentamos esse projeto que eleva de 4.080 para 9.600 torcedores a capacidade do estádio. Reposiciona as cabines de imprensa e aumenta o conforto dos torcedores. Há também por parte da prefeitura uma urbanização da entrada para que possa ser usado para projetos de lazer e eventos. Está apresentado, entendendo que o estádio não é municipal, é do Guarani , para que o projeto avance o Guarani tem de passar o estádio para o município e a bola está com o Guarani”, falou.
O Guarani tem de estar no patrimônio do município para a aplicação do dinheiro público e o prefeito não gosta da ideia de uma desapropriação litigiosa. “Estou aqui colocando meu sim antecipado, quero sim fazer ali um grande estádio e espero que o Guarani (Conselho Deliberativo) dê o sim para avançarmos o mais breve possível”, disse Azevedo. O prazo da conclusão depende da decisão do Conselho Deliberativo.
O presidente do Guarani, Edilson de Oliveira comentou que levará a proposta ao Conselho Deliberativo porque acredita ser essa a saída para os problemas historicamente enfrentados pelo clube. “Quem vai ganhar é o cidadão divinopolitano. As melhorias são uma reivindicação antiga pelos torcedores. Estou muito feliz em nome do Guarani, como torcedor também, com a realização dessa ampliação. Temos de terminar os trâmites legais e espero até abril seja iniciada. No projeto vê se apenas cadeiras, não existirá mais arquibancadas e instalações adequadas. Para haver a municipalização temos de entregar o estádio, sem ônus para a prefeitura e assim dar início ao projeto. Temos um valor a receber, está sendo feito um estudo técnico para saber qual o valor e sem dúvida cobre todas as dividas jurídicas, tributárias e ficais”, considerou.
A próxima reunião do Conselho Deliberativo do Guarani será dia 28 a pauta contará com a apresentação e discussão do novo estatuto do clube e a municipalização do estádio.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.