sábado, 27 de Outubro de 2012 05:02h Gazeta do Oeste

Estreia de Adriano contra o Palmeiras, já livre do rebaixamento, é consenso no Flamengo

Estipular prazos e prever alguma situação envolvendo o atacante Adriano é arriscado, e todos no Flamengo sabem disso. Mas a ideia no clube é que a estreia do Imperador aconteça no dia 18 de novembro, contra o Palmeiras, no Engenhão.

Até lá, o Rubro-negro tem três jogos, contra Atlético-MG, Figueirense e Náutico, e pode já ter se livrado do risco de rebaixamento, o que deixaria a cúpula do futebol mais tranquila para promover o reencontro do ídolo com os seus súditos.

Zinho, diretor de futebol, e o técnico Dorival Júnior, que não concordaram com a opinião de dirigentes em lançar o camisa 10 contra o Atlético-MG de Ronaldinho, não se opuseram, sobretudo se a ideia for que Adriano cumpra tabela com o time pelas três rodadas finais do Brasileiro.

— Ansiedade existe, todos têm. Para mim seria confortável demais colocá-lo e falar: "Vai lá e resolve". Mas não é assim. Vai ser bonito até a estreia, mas depois vai ter cobrança. Não tenho dúvidas de que ele seria útil ao grupo, mas não podemos expor o atleta. Ele é diferenciado. Por isso, não posso colocá-lo numa fria, onde não possa responder a confiança que todos depositam nele — explicou Dorival Júnior, confirmando que Adriano não viaja para Belo Horizonte para o jogo com o Galo.

Hoje, o time treina na Gávea e o assunto entre sócios e dirigentes será certamente sobre o retorno de Adriano. Ontem o jogador treinou bem outra vez, e fez como desde o início da semana um reforço no preparo físico, correndo após a atividade.

— Ontem (quinta-feira) foi o primeiro trabalho efetivo do Adriano com o elenco. É pouco para se ter segurança. Isso pode demorar uma semana, dez ou 30 dias — afirmou o treinador.

 

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.