segunda-feira, 27 de Abril de 2015 10:08h Site Oficial do Cruzeiro

Evento sela encontro de capitães campeões da Libertadores de 76 e 97

No último sábado, dois grandes personagens da história do Cruzeiro se encontraram

Os capitães dos times celestes de 1976 e 1997, Wilson Piazza e Wilson Gottardo, marcaram presença na festa de dois anos da torcida Geral Celeste e puderam reerguer, novamente, as duas taças da Copa Libertadores conquistadas pelo Maior de Minas. O evento foi realizado em Belo Horizonte e contou com o apoio do Departamento de Marketing do Clube, que emprestou os dois troféus para o evento.

Piazza, ao lado de Natal, Tostão, Dirceu Lopes e Raul Plassmann e outros craques comandaram a esquadra azul nos anos gloriosos nas décadas de 60 e 70. Em 1966, o jogador conquistou a Taça Brasil sobre o Santos de Pelé, além do pentacampeonato mineiro (1965/1969). No entanto, a conquista mais marcante do cruzeirense aconteceu em 1976, quando a Raposa superou o River Plate e sagrou-se campeã da Libertadores.

Feliz pela homenagem recebida, o ex-volante da esquadra que encantou o Brasil, ressaltou a importância da nação azul na trajetória vitoriosa do tetrampeão brasileiro. Além disso, ele se mostrou lisonjeado por ter defendido a camisa estrelada e, principalmente, por ter alcançando tantas glórias com o manto.

“Esses encontros marcam a nossa vida. Tive uma bela trajetória dentro do Cruzeiro, com uma história muito bonita, que foi escrita com respeito, honra, garra e futebol, principalmente daquele time que começou a traçar uma trajetória diferente para o Clube. A maior homenagem que eu recebo sempre é de ter vestido essa camisa e ter o carinho do torcedor cruzeirense. Todas essas conquistas só têm sentido com a presença do torcedor, que é a parte principal do Cruzeiro. Por isso, fico muito feliz por receber esse reconhecimento deles”, disse Piazza.

Já Wilson Gottardo participou da conquista da América no ano de 1997. Na oportunidade, o time cinco estrelas, comandado pelo técnico Paulo Autuori, atingiu o feito após vencer o Sporting Cristal, do Peru, por 1 a 0, no Mineirão, diante de mais de 100 mil torcedores. Quase 18 anos após o triunfo, o capitão salientou o quão importante foi aquela vitória, que ficará para sempre marcada na história do Cruzeiro.

“Fico contente por ter esse reconhecimento, essa vibração da torcida. Muitas pessoas que participaram da homenagem não puderam presenciar a conquista, mas hoje vieram aqui para fazer essa bela festa. Isso mostra que a história continua viva. Um título desse fica marcado na memória de todo cruzeirense e torço para que outros atletas possam repetir esse feito com a camisa do Cruzeiro”, disse.

 

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.