quinta-feira, 28 de Julho de 2016 14:50h Site Oficial do Cruzeiro

Feliz com a volta, Mano Menezes visa ascensão do Clube na temporada

A tarde desta quarta-feira foi de reencontro na Toca da Raposa II. Após comandar a equipe celeste no segundo semestre de 2015, Mano Menezes está de volta ao Maior de Minas

Na sala de imprensa do CT, que estava completamente lotada, o novo técnico foi apresentado oficialmente pelo presidente, Dr. Gilvan de Pinho Tavares. Em um rápido pronunciamento, o dirigente demonstrou confiança e otimismo com o trabalho do treinador.

“O Mano era um sonho da torcida do Cruzeiro e um desejo da diretoria do Cruzeiro que deu certo. A gente não pôde continuar com outro treinador por causa dos resultados que não estavam vindo no futebol (...) Esperamos que o trabalho dele (Mano) dê o mesmo resultado do ano passado, até porque a situação do Cruzeiro este ano é favorável em relação ao ano passado (em termos de elenco). Que o Mano seja bem-vindo. A gente confia muito no trabalho e na competência dele”, destacou o mandatário.

 

 

 

Já o comandante estrelado falou com entusiasmo sobre o seu retorno e projetou quais aspectos deverão ser aperfeiçoados para que o Time do Povo cresça de produção, tanto no Campeonato Brasileiro, quanto na Copa do Brasil.  

“É um prazer estar de volta. O Cruzeiro precisa de pequenos ajustes de estratégia e na parte defensiva. Em curto prazo poderemos colher resultados melhores que aqueles equipe vem tendo. Em termos de criação, a produção é boa. Agora é passar tranquilidade aos jogadores e mostrar que acreditamos na capacidade deles”, disse.

 

 

 

Convicto na reação da Raposa, o técnico pregou humildade, rejeitou o rótulo de “salvador da pátria” e enfatizou a importância dos atletas no processo de ascensão da agremiação celeste nesta temporada.

“Penso que falar em título agora é desrespeitar a torcida do Cruzeiro, que é inteligente. Primeiro é sair da situação em que estamos. Se conseguirmos, aí sim poderemos pensar em outras coisas. Não podemos acenar com coisas distantes, sendo que a situação de momento não mostra isso. Sou otimista, senão nem estaria aqui, mas também sou realista e gosto de fazer as coisas passo a passo”, ressaltou.

 

 

 

“Quando cheguei, no ano passado, o Cruzeiro não estava na zona de rebaixamento, mas estava na quarta rodada do segundo turno. Agora estamos na 17ª rodada. Acredito no grupo e na qualidade dos jogadores. Vou dizer isso a eles. São eles que resolvem o problema lá dentro do campo. O treinador é apenas uma peça da engrenagem, alguém que chega e mostra um caminho”, salientou.

Por fim, quando foi questionado se o respeito e a consideração existentes entre ele e a diretoria do Maior de Minas pesaram na hora de decidir sobre a sua volta, Mano respondeu: “Certamente. Acredito muito na boa relação. Penso que o treinador depende muito desse bom relacionamento com a diretoria. Problemas nós vamos ter, mas a confiança existente no treinador é importante para encontrar soluções num espaço curto. Há um carinho do torcedor, o respeito de todos, me senti bem aqui no ano passado e agora estou me sentindo bem de novo. Isso foi fundamental para eu estar aqui”, concluiu.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.