quarta-feira, 6 de Março de 2013 05:23h

Fim do romance Cruzeiro e Minas Arena

. Bares insuficientes e principalmente bilheterias e portões sem funcionamento foram o estopim de uma revolta da diretoria cruzeirense.

A administradora do Mineirão (Minas Arena) e o Cruzeiro tiveram mais uma reunião na tentativa de minimizar os problemas apresentados pelo estádio desde a inauguração. Bares insuficientes e principalmente bilheterias e portões sem funcionamento foram o estopim de uma revolta da diretoria cruzeirense.
Em nota o Cruzeiro explicou que a responsabilidade da prestação de serviço de bilhetagem é de ambos, decidiram por uma gestão compartilhada desse serviço, de forma a apresentar melhores soluções para o atendimento do torcedor.
No encontro, ocorrido na tarde da última segunda-feira (4), entre os presidentes do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares e da Minas Arena, Ricardo Barra , também ficou estabelecido que, nos dias de jogos,  todas as bilheterias do estádio serão abertas para diminuir a formação de filas. Nos próximos dias, as duas partes vão prosseguir com os entendimentos em busca de constantes melhorias.
Aos poucos, o atacante Dagoberto vai adquirindo a condição física ideal para suportar a temporada. Por isso, o atleta tem entrado gradativamente no time cruzeirense. Sempre que é acionado, o jogador costuma dar uma resposta positiva, e foi assim no jogo contra o Tombense, no último sábado (02), quando Dagoberto deu ótima assistência para o gol de Elber.
O jogador se mostra feliz pelo rendimento na equipe celeste e enaltece o elenco do Cruzeiro, que, segundo ele, tem atletas de qualidade no time titular e também no banco de reservas. "O grupo tem grandes jogadores e é sempre interessante no futebol ter um bom banco de reservas para você reverter um esquema tático e poder mudar um placar adverso no segundo tempo", disse.
Dagoberto elogia também o tempo de preparação que vem tendo no Cruzeiro. O jogador argumenta que o clube tem conseguido dosar bem os treinamentos físicos com as atividades com bola. O atacante garante que sempre que for preciso vai estar pronto para ajudar o Cruzeiro, independentemente do tempo que ficar em campo. "Sou muito pé no chão. Estou aí para ajudar, para somar. Se tiver oportunidade de jogar dez minutos, ou 90, vou fazer o melhor. O pessoal tem feito as coisas certas, com um critério bacana. Tivemos duas semanas. Na primeira, trabalhamos a parte física. Está tudo dentro dos parâmetros, as coisas tem fluído de forma bacana. Eu estou bem", afirmou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.