quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2013 05:21h

Fim dos clássicos é aprovado pelos cartolas

“Houve uma discussão saudável, em ambiente democrático, em que as decisões relativas à tabela foram tomadas em regime de votação”.

O presidente José Maria Marin recebeu nesta segunda-feira, na CBF, os presidentes e representantes dos 20 clubes que participarão do Campeonato Brasileiro Série A 2013. No encontro, foram apresentadas sugestões dos clubes para elaboração da tabela.
A mesa diretora do encontro foi formada pelo presidente José Maria Marin, pelo vice-presidente Marco Polo Del Nero, pelo vice-presidente da Região Sul, Fábio Nogueira, pelo diretor de Competições, Virgílio Elísio, pelo diretor jurídico, Carlos Eugênio Lopes, e pelo representante da TV Globo, Marcelo Campos Pinto.
As sugestões foram levadas à mesa diretora e submetidas à votação dos presidentes, em voto aberto. O presidente José Maria Marin disse que, no encontro, foram tratados ainda vários assuntos de relevância do futebol brasileiro. “Houve uma discussão saudável, em ambiente democrático, em que as decisões relativas à tabela foram tomadas em regime de votação”.
Em regime de votação, portanto, foram aprovadas duas mudanças em relação às disputas anteriores:  No Brasileiro Série A 2013, não haverá mais clássicos estaduais na última rodada; a uniformização dos horários, antes programada nas duas últimas rodadas, será adotada agora somente na última rodada.
Participaram também do encontro os presidentes da Federação Pernambucana, Evandro Barros Carvalho, da Federação Goiana, André Pitta, da Federação de Santa Catarina, Delfim Peixoto, e do representante da Federação do Rio de Janeiro, Leonardo Ferraz.
O lateral-direito Ceará, do Cruzeiro, apontou a possibilidade de a rodada final do Brasileirão ter menor apelo. “Isso pode fazer perder um pouco o sabor da competição, porque se já tiver definido o campeonato na última rodada, a gente vai perder muito público. Mas acho que tem pessoas competentes para decidir se vamos ter ou não clássicos”, disse.
Já o volante Nilton ressaltou a emoção que envolve os duelos regionais. “Eu amo clássico, gosto de pressão, de estádio cheio, gosto da torcida gritando seu nome. Fico com pena, é um jogo que para BH, é um jogo que tem repercussão grande. Mas fica o critério que acabaram decidindo e a gente respeita. Nossa equipe vai entrar focada com quem for”, afirmou.
A diretoria cruzeirense alegou que houve um pedido da televisão, além de apelo das polícias de São Paulo e Rio de Janeiro, que apontaram dificuldades para segurança de dois clássicos no mesmo horário. Diante desses pedidos, o clube decidiu votar pelo fim dos duelos regionais na última rodada.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.